Quem foi que disse que Natal diferente tem que ser ruim?

Palhaça Rubra ensina que o dia 24/12 pode ser divertido mesmo com pouca gente e menos presentes

São Paulo

Se neste ano a escola se mudou para o nosso quarto, o vovô e a vovó quase não apareceram, e mal deu para ver os amiguinhos, já estava na cara que o Natal também não ia ser igual.

Por causa do isolamento social, muitas famílias decidiram cancelar as festas grandes e fazer uma ceia pequenininha em casa mesmo.

Com isso, é muito provável que dessa vez não vá ter aquele montão de primos reunidos, aquelas comidas diferentes e muitos presentes embaixo da árvore. Pode ser, inclusive, que, com a quarentena, o Papai Noel nem consiga visitar algumas pessoas.

Mas e aí, como é que a gente fica? Será que, com tanta mudança, este vai ser o pior Natal do mundo?

A Palhaça Rubra jura que não. Ela, que já trabalhou com o “Doutores da Alegria” e o “Jogando no Quintal”, tem um recado importante.

A Palhaça Rubra sorri para a câmera
A Palhaça Rubra, que criou até música ensinando as crianças a brincarem entre si - Divulgação

“Em meio à pandemia, a gente descobriu o presente mais lindo que pode dar um para o outro. Esse presente é estar juntos em família. E a gente vai brincar de fazer surpresas de Natal”, começa Rubra.

Ela sugere que, na noite de Natal, todo mundo feche os olhos, pense em uma música que já existe, e brinque de trocar a letra dela.

“É só pegar um papel e um lápis, enxergar uma cena de amor dentro da cabeça, ou uma cena engraçada, e escrever essas coisas”, ensina. Depois, é só cantar para a família.

Rubra explica que pode ser uma música escrita, mas, se alguém quiser, pode fazer também uma versão em desenho ou com colagens.

“E a gente não vai embrulhar, para não gastar papel”, completa. “Vamos brincar uns com os outros. A gente é o brinquedo mais ninja que existe. Se eu brinco com o outro, o outro é meu brinquedo. E, se o outro brinca comigo, eu sou o brinquedo do outro. E isso é de graça”.

A Rubra até já escreveu uma música sobre isso, chamada "Brinquedos, Brinquedos". Veja a letra abaixo.

Então, mesmo que o Papai Noel não venha, ou que a casa esteja mais vazia e quieta, o combinado é lembrar que logo, logo tudo melhora. E que, no ano que vem, quando chegar o Natal de novo, todo mundo vai estar mais forte.

Não só porque o chato do coronavírus vai ter ido embora, mas também porque vamos ter aprendido a fazer presentes, e a ver que coisas diferentes nem sempre significam coisas ruins.

"Brinquedos, Brinquedos"

Brinquedos, brinquedos são coisas
Trecos, troços, pessoas são brinquedos também!
Pessoas, pessoas são coração, corpo, cabeça
Brinquedos são pessoas também!
Pega-pega, duro ou mole, mímica, corre-cotia,
Vivo ou morto, mãe da rua, pula corda, gato-mia,
Esconde-esconde, passa-anel, beijo,
Abraço, aperto de mão...
Estátua!
Fala um brinquedo! “Carro”
Fala brinquedo! “Mãe”
Fala brinquedo! “Irmão”
Fala brinquedo! “Professora”
Fala brinquedo! “Pião”
Fala brinquedo! “Ai, sei lá!”
Fala um brinquedo! “Tudo”
Aaaaah, Luzia nunca se sentiu tão bem
Aaaaah, Luzia é brinquedo também
Aaaaah, você vai se sentir tão bem
Aaaaah, você é brinquedo também

DEIXA QUE EU LEIO SOZINHO

Ofereça estes textos para uma criança praticar a leitura autônoma

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.