Descrição de chapéu Espanha

Penélope Cruz defende greve geral de mulheres na Espanha em 8 de março

Atriz afirmou ter esperança de que ocorra 'uma mudança real' na indústria do entretenimento

A atriz espanhola Penélope Cruz posa para foto em sessão de apresentação do filme 'Loving Pablo', em Madri
A atriz espanhola Penélope Cruz posa para foto em sessão de apresentação do filme 'Loving Pablo', em Madri - Susana Vera/Reuters
São Paulo | UOL

A atriz Penélope Cruz, 43, disse ser a favor da greve feminista que acontecerá na Espanha no próximo dia 8 de março, no Dia Internacional da Mulher. 

Em entrevista à Agência Efe, ela afirmou que existem "motivos de sobra" para endossar o movimento. A atriz menciona, por exemplo, a busca por igualdade salarial. "Estou totalmente de acordo e apoio", completou.

Para ela, os movimentos contra o assédio que ocorreram recentemente em Hollywood, como #MeeToo e Time'sUp,  devem incentivar outras denúncias de crimes sexuais, em outras esferas sociais além do cinema. 

"Tudo o que saiu à luz na nossa indústria tem que ajudar, como foco, mulheres de outras profissões e de outras indústrias que não têm microfones por perto como nós", disse. Ela ressaltou a importância dos movimentos e disse que tem "esperança de que seja uma realidade para mudar para algo mais justo". 

Sobre a greve, Cruz afirma que a busca por paridade salarial e igualdade de condições trabalhista parecem assuntos anacrônicos. "Deveria ser óbvio, mas parece que não, por isso é preciso relembrar o necessário: a greve de 8 de março é muito importante, é preciso apoiá-la", disse. 

Em 2017, em meio às inúmeras denúncias de assédio envolvendo o produtor Harvey Weinstein, Penélope Cruz se posicionou dizendo que, embora nunca tivesse presenciado algum tipo de comportamento inadequado de Weinsteincondenava todo tipo de abuso de poder

Em 2018 a atriz pode ser vista como Donatella Versace na série "American Crime Story: The assassination of Gianni Versace" (FX) e segue com as gravações do longa "Loving Pablo", dirigido por Fernando León de Aranoa.

O diretor, autor de filmes que reforçam compromissos políticos e sociais, também se declarou a favor da mobilização de 8 de março na Espanha. Segundo ele, vivemos "um momento histórico em que começamos a estar conscientes de que as coisas mudaram para sempre, ainda que haja muitos degraus a subir." 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.