Debate sobre religião com Monja Coen abre ciclo de encontros de psicanálise

Encontros acontecerão mensalmente, abordando temas como sexualidade, poder, amor e violência

Monja Coen antes de ato solene em memória das vítimas do Holocausto, na sinagoga Etz Chaim
Monja Coen antes de ato solene em memória das vítimas do Holocausto, na sinagoga Etz Chaim - Greg Salibian - 27.jan.2019/Folhapress
São Paulo

A líder espiritual Monja Coen, fundadora da Comunidade Zen Budista no Brasil, e a psicanalista Marina Bilenky, membro da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo (SBPSP), abrirão no dia 21 de março (quinta-feira), com um debate sobre religião, a série de encontros Mal-Estar na Civilização.

O projeto é realizado pela Diretoria de Cultura e Comunidade (DCC) da SBPSP em parceria com a Livraria da Vila, com apoio da Folha. Será um debate por mês, sempre às quintas-feiras. A mediação ficará a cargo da psicanalista Luciana Saddi.

Em seu livro "O Mal-Estar na Civilização", Freud (1856-1939) afirmava que o progresso civilizatório humano exige renunciar à agressividade e à sexualidade, o que tornaria o homem refém de um sentimento de culpa inconsciente e um constante mal-estar.

Os encontros discutirão o desenvolvimento desses sofrimentos com as transformações da civilização e como eles atingem o homem, a arte e a sociedade no início do século 21. Os temas debatidos ao longo do ano serão, além da religião, sexualidade, poder, amor e violência.

O encontro acontecerá na Livraria da Vila Fradique Coutinho (r. Fradique Coutinho, 915 – Vila Madalena), a partir das 19h30. Os ingressos são gratuitos e serão distribuídos a partir de uma hora antes do início do debate.

Os que desejam obter certificado de participação no evento devem se inscrever antes no site da SBPSP. A inscrição no site, porém, não garante o ingresso, que deve ser retirado no local.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.