Descrição de chapéu Livros

Floriano Peixoto começou a tirar do papel o projeto para uma nova capital

Histórias como essa estão no terceiro volume da Coleção Folha - A República Brasileira

São Paulo

Brasília foi inaugurada pelo presidente Juscelino Kubitschek em 1960, mas a ideia de construir uma capital no interior do país começou a circular muitas décadas antes. 

No século 18, já existiam discussões sobre a possibilidade de transferir o centro político do Brasil para uma região inexplorada, a fim de estimular a integração nacional. 

Floriano Peixoto foi o primeiro presidente a levar a ideia adiante. Em 1892, ele criou a Comissão Exploradora do Planalto Central, chefiada pelo astrônomo belga Luís Cruls. 

Histórias como essas estão no terceiro volume da Coleção Folha - A República Brasileira. O livro sobre 
Floriano, que comandou o país de 1891 a 1894, chega às bancas neste domingo (29).

A gestão dele foi marcada por uma série de rebeliões. Em uma delas, a Segunda Revolta da Armada, integrantes da Marinha, insatisfeitos com o governo federal, trocaram tiros com soldados do Exército.

Segundo o historiador Pietro Sant’Anna, autor do livro, “as guerras civis, com ameaças constantes de bombardeio do Rio, certamente fizeram Floriano querer apressar a mudança da capital”. 

Após um ano de trabalho, a comissão criada pelo presidente elaborou relatório sobre o Planalto Central. A região, escreveu Cruls, “tem riquezas naturais que só pedem braços para serem exploradas”. 

Em 1893, o belga e sua equipe delimitaram uma ampla área que ficaria conhecida como Quadrilátero Cruls. Mais de seis décadas depois, esse território daria origem ao atual Distrito Federal. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.