Descrição de chapéu Rock in Rio

No Rock in Rio, Lulu Santos faz dueto inesquecível e cheio de hits com Silva

Caixas de som do palco secundário não deram conta da multidão que se uniu para ouvir os cantores

Ivan Finotti
Rio de Janeiro

Com o benefício da fama reconquistada com a participação como jurado do The Voice, Lulu Santos iniciou seu show com o público bombando o palco secundário do Rock in Rio, pouco depois das 19h deste domingo (6). 

Assim como o Paralamas do Sucesso, que havia tocado antes no palco principal, Lulu é remanescente do Rock in Rio original, realizado há 34 anos. 

De camisa de estampa animal, Lulu soltou hits da mesma época, que tocam até hoje nas rádios e programas de TV, como “Tempos Modernos”, “Toda Forma de Amor” e “Casa”. A plateia sabia de cor e o povo acima dos 30 e tantos cantava alto.

Lulu Santos no palco do último dia do Rock in Rio 2019
Lulu Santos no palco do último dia do Rock in Rio 2019 - Adriano Vizoni/Folhapress

“Senhoras e senhores, senhoras e senhoras, senhores e senhores”, falou, em referência à nação LGBT, pedindo em seguida que o público se aplaudisse por fazer do festival o que é.

“Aumenta o som, aumenta o som”, gritavam os fãs. É que o palco Sunset não foi feito para tanta gente. Realmente, as caixas de som não davam conta da multidão nas laterais. 

Após uma canção nova sem retorno do público, Lulu mandou “Ovelha Negra”, de Rita Lee, em ritmo reggae. 

Aí apareceu o multi-instrumentista Silva, o convidado de Lulu como manda a tradição de parcerias no palco Sunset. Além dele, também apareceu Priscila Tossan, ex-participante do The Voice.

“Admirável Gado Novo”, em dueto com Silva, foi o ponto alto do show. A voz de Lulu, emulando os graves de Zé Ramalho, contrastava com os versos mais agudos do convidado, todo de branco. Inesquecível.

Silva e Tossan cantaram, em seguida, uma canção delicada cada um. “A Cor É Rosa” e “Fica Tudo Bem” foram recebidas com entusiasmo pela arena.

Com figurino mais discreto, camisa branca e preta, Lulu voltou com seus hits inabaláveis “Aviso aos Navegantes” e “Assim Caminha a Humanidade”. Nesta, cantou com o público “não vou dizer que foi ruim/ também não foi tão bom assim”.

Finalizou com “Descobridor dos Sete Mares”, sucesso de Tim Maia de 1983, regravada por Lulu 12 anos depois. O público praiano agradeceu de montão.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.