Descrição de chapéu Cinema festival de berlim

Fundador da Berlinale participou da propaganda nazista, revela estudo

Após cancelar prêmio que levava nome de Alfred Bauer, organização do evento expõe novas pesquisas sobre o caso

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Um estudo sobre Alfred Bauer, o fundador do Festival Internacional de Cinema de Berlim, a Berlinale, foi publicado nesta quarta-feira (30) e revelou novas provas de sua participação no regime nazista. A pesquisa mostra que Bauer foi uma figura determinante no órgão alemão de propaganda nazista e tentou esconder isso.

"O estudo do Instituto Leibniz de História Contemporânea sobre o diretor-fundador da Berlinale, Alfred Bauer, confirma que seu papel no Reichsfilmintendanz [órgão criado por Joseph Goebbels em 1942 para controlar o cinema alemão com o uso propagandas de enaltecimento ao nazismo] foi mais significativo do que se sabia até então e foi sistematicamente encoberto por ele depois de 1945", diz uma publicação do Festival no Twitter.

Em 31 de janeiro, após o jornal alemão Die Zeit revelar que Bauer tinha cargo importante no órgão de Goebbels, o Festival anunciou que suspenderia o prêmio que levava seu nome. Na época, os organizadores negaram saber das informações e anunciaram o início de uma pesquisa "com apoio de especialistas externos" para investigar caso.

Homem em mesa
Joseph Goebbels em sua mesa em março de 1933 - Atelier Bieber/Nather/ Bildarchiv Preußischer Kulturbesitz

"Aproveitaremos essa oportunidade para iniciar uma pesquisa aprofundada sobre a história do festival com o apoio de especialistas externos", declararam os organizadores em nota publicada na época.

A pesquisa, encomendada há sete meses pela organização da premiação, foi realizada pelo Instituto de História Contemporânea Leibniz, da Alemanha. Segundo a nota divulgada pelo Festival, o historiador alemão Tobias Hof avaliou uma série de documentos da Alemanha nazista e concluiu que o fundador do Festival atuou no órgão de Goebbels entre os anos de 1942 a 1945 estando "bem informado sobre todos os procedimentos e processos da indústria e produção cinematográfica alemã".

"Os documentos também revelam que Alfred Bauer não era apenas um funcionário importante dentro do Reichsfilmintendanz, mas que também desempenhava seu trabalho de maneira comprometida e cautelosa", afirma a nota.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.