Lembre o dia em que Eva Wilma brigou em português com Hitchcock, de 'Psicose'

Atriz participou de seleção para o filme 'Topázio', de 1969, e confrontou o diretor após ser provocada

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Num vídeo que integrou a exposição “Hitchcock – Bastidores do Suspense”, realizada em 2018 no Museu da Imagem e do Som de São Paulo, a atriz Eva Wilma, morta neste sábado, aos 87 anos, lembrou o dia em que discutiu em português com o diretor Alfred Hitchcock.

Na gravação, Eva Wilma conta que Hitchcock estava à procura de uma mulher para o papel da cubana Juanita no filme “Topázio”, lançado em 1969. Após fazer as fotos para a seleção, ela recebeu a notícia de que havia sido selecionada para fazer os testes.

Foi no estúdio, em Los Angeles, que a atriz disse ter tido o primeiro contato com o diretor de "Psicose", que logo reparou em um de seus dentes, levemente afundado em relação aos outros, e perguntou ao maquiador "o que é que nós vamos fazer em relação a isso?".

O episódio é lembrado com bom humor pela atriz, que admitiu ter ficado indignada mesmo quando soube que teria de usar seios postiços para a cena. Contrariada, foi preciso que o maquiador a acalmasse, dizendo que, uns dois anos depois, poderia conquistar o "direito" de não usar as próteses.

Segundo o relato de Eva Wilma, a preparação para o teste durou uma semana, mas a responsabilidade só pesou quando ela chegou ao estúdio e viu um trailer com seu nome escrito. Dali, se preparou para a cena e viu a entrada triunfal de um vaidoso Hitchcock no estúdio, sob aplauso de todos da equipe.

No primeiro e segundo testes, as coisas correram bem. Mas, na terceira parte, a situação ficou mais tensa. Era uma entrevista frente a frente, com o diretor improvisando as perguntas na hora e uma câmera ligada. Ela se recorda de um Hitchcock bastante provocativo, um tanto quanto bem-humorado, mas dramático.

Eva Wilma disse que já dominava o inglês, mas após algumas provocações reagiu dizendo já estar constrangida e irritada com as perguntas, ainda mais por ter de responder num idioma que não era o seu. Foi então que ouviu do diretor "responde na sua língua" —e assim o fez até o final da entrevista.

Após retornar ao Brasil, Eva Wilma contou que se passaram cerca de três meses até ser informada de que haviam contratado uma atriz alemã para o papel de Juanita —Karin Dor.

Quando ficou pronto, assistiu ao “Topázio” e disse que sentiu um certo alívio por não ter participado. Para ela, o filme tinha ficado ruim e a cena da cubana pior ainda, mas admitiu que “gostaria de ter feito de qualquer jeito".

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.