Descrição de chapéu Fórum Econômico Mundial

Com clima de otimismo, Doria abre evento para a América Latina, em SP

Tucano disse que país está 'de volta ao jogo' e recebeu convite para o encontro global em 2019

Eliane Trindade
São Paulo

O prefeito João Doria (PSDB) foi o anfitrião do coquetel de boas-vindas aos 700 participantes do 13º Fórum Econômico Mundial para a América Latina, no início da noite desta terça-feira (13), em São Paulo.

O clima no evento foi de otimismo. Candidato do PSDB ao governo do estado, Doria disse que o Brasil estava "de volta ao jogo" após anos de recessão e que estava na hora de tanto o país como a América Latina "sacudirem a poeira e darem a volta por cima".

O prefeito João Doria (PSBD-SP) fala sobre o Fórum Econômico Mundial, nesta terça-feira (13)
O prefeito João Doria (PSBD-SP) fala sobre o Fórum Econômico Mundial, nesta terça-feira (13) - Marcelo Justo/Folhapress

A expressão foi utilizada em referência ao samba "Volta por Cima", de Paulo Vanzolini, cantada pelo coral do Theatro Municipal, na abertura da noite. Doria saudou os convidados no hotel Palácio Tangará, no Morumbi, falando em inglês, espanhol e português —foi o único dos discursantes a falar algum idioma estrangeiro.

Antes do seu discurso, pediu "silêncio suíço", aos convidados, para que o presidente do Fórum Econômico Mundial, o alemão Klaus Schwab, pudesse saudar os convidados.

O fundador do fórum, que acontece na Suíça, afirmou que foi uma decisão acertada ter escolhido São Paulo como sede da rodada latino-americana deste ano, por a cidade ser um ambiente de inovação. "É o lugar para vir", disse Schwab.

O alemão fez ainda um convite para que Doria e seu padrinho político, Geraldo Alckmin, estejam presentes no encontro do Fórum em 2019, em Davos. "Será bem mais frio e com muito mais neve, disse Schwab.

Em saudação ao presidente do Fórum, Luiz Carlos Trabuco, um dos co-presidentes do evento, disse que o alemão faz um exercício de repensar o mundo. "Davos antecipa o futuro. E estamos aqui para repensar o futuro da América Latina", afirmou o banqueiro, o primeiro a fazer a referência ao "levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima" como metáfora do Brasil atual.

Causou estranheza a ausência do presidente do Itaú Unibanco, Candido Bracher. Também um dos co-presidentes do evento, Bracher foi chamado para discursar, mas não apareceu.

O Fórum Econômico Mundial para a América Latina inicia a sua programação de painéis nesta quarta (14) e vai até quinta-feira (15) em São Paulo. Veja a programação completa. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.