Em referendo, suíços rejeitam subsídio para criadores de vacas com chifres

Fazendeiro reuniu mais de 100 mil assinaturas obrigatórias para haver consulta popular

Genebra | AFP

Os eleitores suíços rejeitaram em referendo realizado neste domingo (25) a iniciativa batizada de "vacas com chifres", que previa o pagamento de subsídios aos criadores de gado que preservassem os chifres dos animais.

O texto foi submetido a votação por iniciativa de Armin Capaul, um criador ambientalista que conseguiu reunir mais de 100 mil assinaturas, mínimo exigido para a organização da consulta popular. A iniciativa, porém, recebeu apenas 45,28% de votos favoráveis, segundo os resultados finais.

"Não é uma derrota amarga", afirmou o idealizador da consulta. "Sensibilizei as pessoas sobre o sofrimento dos animais e coloquei as vacas no coração das pessoas". Ele disse que está disposto a prosseguir o combate a favor dos animais.

000
O fazendeiro suíço Armin Capaul posa com uma de suas vacas; ele liderou movimento que pedia subsídio para os criadores que mantem os chifres dos animais - Fabrice Cofrini - 21.nov.18/AFP

Capaul é um pequeno fazendeiro de um vale próximo de Moutier e  intensificou sua presença na imprensa nos últimos meses para defender o bem-estar dos animais.

A iniciativa pedia subsídios para os fazendeiros que adaptam os estábulos às vacas e não o contrário, com o objetivo de garantir sua segurança.

O governo suíço se pronunciou contra a iniciativa e explicou em um comunicado que se recusa a "fazer contribuições específicas, já que não existe nenhum estudo que afirme que o bem-estar das vacas e das cabras sem chifres é extremamente dificultado".

A prática de retirada dos chifres tem o objetivo de proteger os animais de criação e os fazendeiros de possíveis ferimentos.

A consulta teve o apoio dos eleitores das cidades, mas não das zonas rurais. "Nas cidades, as pessoas ainda têm coração. No campo, só pensam em dinheiro", disse Capaul.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.