Guto Schiavon, fundador da corretora de criptomoedas Foxbit, morre aos 24 anos

Luís Augusto Schiavon foi vítima de acidente automobilístico em rodovia em Marília

São Paulo

Morreu nesta terça-feira (25), aos 24 anos, um dos fundadores e diretor de operações da corretora de criptomoedas Foxbit, Luís Augusto Schiavon Ramos.

Guto, como era conhecido, foi vítima de um acidente automobilístico na rodovia João Ribeiro de Barros (SP-294), em Marília (SP). 

A namorada de Guto, Ariadny Rinolfi, 23, foi socorrida e levada ao Hospital das Clínicas de Marília. Segundo a assessoria do hospital, ela está na unidade de emergência e seu estado ainda é considerado grave, mas Rinolfi tem apresentado "evolução positiva".

O acidente envolveu outros veículos e deixou mais vítimas. Beatriz Guidi, 20, chegou a ser socorrida com ferimentos graves e levada para o HC de Marília, mas morreu na manhã desta quarta (26), de acordo com o hospital.

Ela viajava com o namorado, Rafael Doéring Soares, e o pai dele, Rafael Lírio Soares, 53, que está na UTI do HC em estado grave. Segundo a assessoria do hospital, Rafael Doéring foi transferido para a Santa Casa de Marília. A Santa Casa informou que não fornece informações sobre prontuários.

Guto Schiavon nasceu em Marília, mas morou boa parte da vida em Pompeia, também no interior paulista. Era bacharel em sistema de informação pelo Univem (Centro Universitário Eurípedes de Marília) e técnico em mecânica de usinagem pelo Senai.

Em 2014, fundou a Foxbit com João Canhada, presidente da empresa. "Guto migrou a habilidade que tinha em gerir fóruns de jogos online para o negócio. Ele atuava sem aparecer muito, amava atender as pessoas", diz. 

Uma das maiores corretoras do tipo no Brasil, a Foxbit reporta mais de 400 mil clientes e R$ 6 bilhões transacionados

Augusto Schiavon, fundador da Foxbit
Guto Schiavon, fundador da Foxbit - Reprodução/Instagram
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.