Bradesco corta duas vice-presidências em reorganização de diretoria

Executivos que tiveram postos extintos seguem no conselho de administração

São Paulo

O Bradesco, segundo maior banco privado do país, anunciou nesta segunda-feira (14) uma reestruturação societária que cortou de seis para quatro o número de vice-presidências do banco.

A instituição manterá as unidades de varejo, alta renda e atacado e criou uma área de infraestrutura/TI/RH, que prestará serviços às outras vice-presidências.

Os executivos Eurico Ramos Fabri, Cassiano Ricardo Scarpelli e Marcelo de Araújo Noronha permanecem no comando das três primeiras áreas, enquanto André Cano ficará na nova vice-presidência, que englobará ainda as áreas de compliance, jurídico e relações com o mercado.

Os executivos Josué Augusto Pancini e Mauricio Machado de Minas perderam os postos de vice-presidentes e passam a ser exclusivamente membros do conselho de administração. Ambos chegaram a ser cotados para suceder Luiz Trabuco na presidência do banco.

O cargo ficou com Octavio de Lazari, que assumiu o Bradesco em março do ano passado e promove a primeira reestruturação de sua gestão.

Com as mudanças, Lazari planeja elevar as receitas do banco, que vem apresentando resultados piores que os de seus pares privados.

A rentabilidade do Bradesco, medida pelo ROE (retorno sobre ativos), foi de 19% no trimestre encerrado em setembro, abaixo do desempenho de Itaú (21,3%) e Santander (19,5%). Parte da dificuldade de entregar resultados mais consistentes pode ser a incorporação do HSBC, iniciada em 2016.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.