Justiça autoriza Vale a retomar operações em maior mina de MG

Brucutu permanece fechada à espera de ação na Secretaria de Meio Ambiente

Nicola Pamplona
Rio de Janeiro

A Vale informou nesta terça (19) que obteve autorização judicial para retomar as operações na mina de Brucutu, sua maior operação em Minas Gerais, que haviam sido suspensas a pedido do Ministério Público estadual em março.

A mina tem capacidade para produzir 30 milhões de toneladas de minério por ano. Sua paralisação é resultado de aumento das restrições operacionais após a tragédia de Brumadinho (MG), que deixou até agora 207 mortos e 101 desaparecidos.

Em nota distribuída nesta terça, a companhia informou que as operações de Brucutu permanecem paralisadas à espera de desdobramentos da ação na Secretaria de Meio Ambiente de Minas Gerais e que informará o mercado de quaisquer atualizações.

As operações na mina foram suspensas após determinação da Justiça para paralisar atividades em oito barragens de rejeitos na região, o que inviabilizava a produção em Brucutu —que corresponde a 7,5% do volume extraído anualmente pela mineradora.

Na semana anterior, a Vale já havia anunciado a paralisação voluntária de outros dois complexos produtores de minério de ferro, com capacidade total para produzir 40 milhões de toneladas por ano, para descaracterizar as barragens de rejeitos.

Um dia após a decisão sobre Brucutu —já com quase 18% de sua produção afetada— a companhia anunciou força maior em contratos. A cláusula evita penalidades por problemas de entrega provocados por fatores externos.

Atualmente, a companhia estima ter 82 milhões de toneladas anuais impactadas por suspensão de operações. O volume representa 20% de sua produção em 2017.

Logo da mineradora Vale em Brumadinho, Minas Gerais
Logo da mineradora Vale em Brumadinho, Minas Gerais - Adriano Machado-21.fev.2019/Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.