Descrição de chapéu IR 2019

31,9 milhões de contribuintes entregaram o Imposto de Renda no prazo; 1 milhão já está na malha fina

Quem não enviou a declaração pagará multa a partir de R$ 165,74

São Paulo

A Receita Federal divulgou nesta quarta (1º) que 31,980 milhões de declarações do Imposto de Renda foram enviadas dentro do prazo, que terminou na terça (30). A expectativa do Fisco era de que 32 mihões de contribuintes enviassem a prestação de contas neste ano.

Na comparação com 2019, a Receita registrou um aumento de 4,3% nos envios feitos no prazo. No ano passado, foram 30,6 milhões as declarações enviadas, de uma previsão inicial de 30,5 milhões.

No estado de São Paulo, o total de declarações submetidas bateu a expectativa definida pelo governo –10,3 milhões de contribuintes enviaram o IR no prazo.

Segundo o secretário da Receita, José Tostes Neto, 1 milhão de declarações já estavam na malha fina no dia 29 de junho. O principal motivo para reter uma declaração é a omissão de rendimentos –42,2% dos contribuintes com declarações retidas deixaram de informar o salário.

Leão Imposto de Renda 2020
Receita Federal recebeu 31,9 milhões de declarações de Imposto de Renda de pessoas físicas - Catarina Pignato

As deduções foram o segundo motivo mais comum a levar as declarações à malha fina e 33,3% tratavam de despesas médicas.

Neste ano, o prazo para o envio das informações fiscais de 2019 à Receita foi alongado por dois meses devido à pandemia do novo coronavírus. Inicialmente, as declarações poderiam ser enviadas até 30 de abril.

Balanço divulgado pela Receita no dia 2 de abril apontava que apenas 9,1 milhões de declarações tinham sido enviadas. No dia 1º daquele mês o órgão anunciou que esticaria o prazo de envio.

Os contribuintes que não entregaram a declaração do IR até o dia 30 já podem fazer a prestação de contas no sistema. Haverá a cobrança de uma multa que varia de R$ 165,74 até 20% do imposto devido em 2019.

Apesar do prazo esticado para o envio das declarações, a Receita Federal manteve o calendário de pagamento de restituições, que é a devolução do imposto pago a mais pelo contribuintes pessoa física no ano anterior.

Os dois primeiros lotes de restituições já foram pagos. No dia 29 de maio receberam 901 mil contribuintes considerados prioritários, como idosos, pessoas com doenças graves ou deficiência e aqueles que têm o magistério como fonte de renda principal. Foram pagos R$ 2 bilhões.

No dia 30 de junho, no segundo lote, receberam os contribuintes que enviaram a declaração na primeira semana, até o dia 4 de março. Segundo a Receita, 3,3 milhões de pessoas receberam R$ 5,7 bilhões, o maior lote da história do Fisco.

Os próximos pagamentos serão feitos no dia 31 de julho, quando 4,9 milhões de contribuintes receberão R$ 5,6 bilhões em imposto devolvido.

A Receita estima que 19,1 milhões contribuintes terão direito à restituição. Outros 6 milhões deverão pagar imposto e 6,8 milhões não terão saldo de imposto (nem a pagar nem a restituir).

A Receita espera que R$ 19,6 bilhões sejam arrecadados com o pagamento do IR de pessoa física de 2020 ao longo do ano.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.