Descrição de chapéu Diplomacia Brasileira

Bolsonaro proíbe imprensa de acompanhar passeio à Muralha da China

Governo chinês providenciou segurança reforçada para realização da visita

Pequim

Rodeado de uma comitiva de mais de 50 pessoas, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) visitou na tarde desta quinta-feira (24) a Grande Muralha da China.

Ele não autorizou que a imprensa acompanhasse o passeio. Quando os repórteres chegaram ao local, que fica cerca de uma hora de Pequim, os carros da comitiva presidencial estavam saindo.

O governo chinês providenciou uma segurança reforçada para o programa, isolando a entrada do hotel na saída do presidente. Os demais veículos também foram impedidos de chegar até a entrada da Muralha.

O presidente Jair Bolsonaro em visita à Grande Muralha da China
O presidente Jair Bolsonaro em visita à Grande Muralha da China - Isac Nóbrega/PR

Bolsonaro estava com os ministros Osmar Terra (Cidadania), Tereza Cristina (Agricultura), Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Bento Albuquerque (Energia).

Também participaram o deputado Marco Feliciano (Podemos-SP), que tem sido presença constante no giro do presidente pela Ásia, e o governador do Acre, Gladson Cameli (PP).

Bolsonaro ficou pouco mais de 45 minutos num trecho chamado “Badaling”. O vento era forte e fazia frio. A visita quase foi cancelada devido à chuva que caía em Pequim, mas o tempo estava aberto na região da Muralha.

Segundo vídeos compartilhados por membros da comitiva, o presidente brasileiro assinou o chamado “livro de honra”, que os chineses reservam para as autoridades.

Bolsonaro havia dito antes do passeio que iria a Muralha para evitar dormir e se acostumar com o fuso horário. Ele chegou a Tóquio na segunda-feira (21), e Pequim é a segunda parada da viagem.

Ele estará ainda em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, em Doha, no Catar, e em Riad, na Arábia Saudita.

Na sexta-feira (25), Bolsonaro participa de um seminário empresarial e se encontra com o dirigente chinês Xi Jiping e outras autoridades.

 
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.