Descrição de chapéu Coronavírus

Trump contraria medicina e sugere injeção de desinfetante para tratar coronavírus

'Talvez seja possível, talvez não seja, eu não sou médico', disse o presidente americano

São Paulo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, contrariou indicações da medicina nesta quinta-feira (23) ao sugerir que injeções de desinfetante poderiam servir para o tratamento da Covid-19.

Durante entrevista coletiva na Casa Branca, Trump disse que, ao ver que "o desinfetante derruba o coronavírus em um minuto", "pode existir uma maneira de fazer algo desse tipo por dentro, com uma injeção, ou quase como uma limpeza".

"Porque, veja bem, ele entra nos pulmões e faz um trabalho tremendo nos pulmões, então seria interessante checar isso. Então, será preciso ver com os médicos, mas soa interessante para mim.”

Donald Trump durante entrevista coletiva na Casa Branca - Mandel Ngan/AFP

O presidente americano também fez alusão a supostos tratamentos para o coronavírus com radiação ultravioleta, novamente sem corroboração científica. “Talvez seja possível, talvez não seja. Eu não sou médico. Mas eu sou, tipo, uma pessoa que tem um bom você sabe o quê”, disse.

As declarações do republicano foram dadas logo após uma apresentação do subsecretário interino de ciência e tecnologia do Departamento de Segurança Interna dos EUA, William Bryan.

Ele mostrou slides resumindo os resultados de um experimento que concluiu que o coronavírus é menos perigoso em ambientes mais quentes e úmidos. O estudo também analisou o efeito dos desinfetantes.

Especialistas e autoridades médicas reagiram à declaração de Trump com indignação. “Eu certamente não recomendaria a ingestão interna de desinfetante”, disse Stephen Hahn, funcionário da FDA (agência de vigilância sanitária americana), à emissora CNN.

Não é a primeira vez que Trump ignora evidências científicas na pandemia da Covid-19. O presidente tem promovido a utilização da hidroxicloroquina, medicamento usado no tratamento da malária e outras doenças, mas sem estudos suficientes para confirmar sua eficácia contra o novo coronavírus.

Nesta semana, o Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA contraindicou o uso do medicamento para tratar a Covid-19.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.