Senadores aprovam inspeção em cadeia para visitar Lula

Manobra foi aprovada pela Comissão de Direitos Humanos da Casa

Bernardo Caram
Brasília

Após a Justiça do Paraná negar pedido para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebesse visitas de autoridades na terça-feira (10), a Comissão de Direitos Humanos do Senado aprovou nesta quarta (11) a realização de uma diligência na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde o petista está preso.

A senadora Vanessa Grazziotin, autora do requerimento - Edilson Rodrigues/Agência Senado

Pelo menos dez senadores de PT, PC do B, PDT e PTB farão a inspeção no prédio. A autora do requerimento é a senadora Vanessa Grazziotin (PC do B-AM). Durante a sessão, ela explicou que apresentou o pedido depois que autoridades tiveram a visita negada.

Nesta terça, a Justiça do Paraná rejeitou pedido feito pelo senador Roberto Requião (MDB-PR) para que ele, nove governadores e outros dois senadores fossem ao encontro de Lula na prisão. A decisão justificava que as regras de visitação não seriam flexibilizadas. As visitas no estabelecimento são às quartas-feiras.

Aos colegas da comissão, Gazziotin argumentou que o despacho não tem amparo legal.

“Comprova que, infelizmente, essa é uma prisão muito mais política do que jurídica”, afirmou.

O requerimento que pede a diligência foi anunciado, discutido e aprovado pela comissão em três minutos. Antes que a palavra fosse cedida aos membros do colegiado, senadores da oposição, que eram maioria no encontro, pediram que o requerimento fosse votado logo e que depois fosse aberto espaço para os discursos.

O requerimento, aprovado em votação simbólica, autoriza a realização de diligência à superintendência da PF em Curitiba, com a finalidade de verificar as condições de encarceramento do ex-presidente Lula e dos demais presos naquele edifício.

COMISSÃO EXTERNA

Em outra frente de ação, parlamentares do PT conseguiram aprovar no plenário do Senado um requerimento para a criação de uma comissão externa com propósito semelhante.

O grupo será composto por 12 senadores e vai "verificar in loco as condições em que se encontra o ex-presidente Lula". No pedido, há a informação de que a comissão não irá gerar ônus ao Senado.

Ao apresentar o requerimento, os parlamentares levaram ao plenário cartazes e faixas de apoio ao ex-presidente e gritaram “Lula livre”.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.