Descrição de chapéu Eleições 2018

WhatsApp bane número de candidatos do Novo

Concorrentes a deputado estadual e federal tiveram listas de transmissão apagadas e falam em sabotagem política

Débora Sögur Hous
São Paulo

Dois candidatos do partido Novo tiveram listas de transmissão do WhatsApp apagadas, e seus números banidos do aplicativo, na terça-feira (14), a dois dias do início oficial da campanha eleitoral.

Listas de transmissão são grupos que recebem mensagens de um único número, diferente dos grupos, onde todos os números enviam e recebem mensagens.

Vinicius Poit, candidato a deputado federal, e Daniel José, que disputa vaga no Legislativo estadual, dizem que foram informados por uma mensagem automática do aplicativo. "Seu número de telefone está banido de usar o WhatsApp, por favor contate o suporte para assistência."

Manifestantes favoráveis à prisão do ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva e militantes do Partido Novo limpam frente do prédio da ministra do STF, Cármen Lúcia, em Belo Horizonte
Manifestantes favoráveis à prisão do ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva e militantes do Partido Novo limpam frente do prédio da ministra do STF, Cármen Lúcia, em Belo Horizonte - Carolina Linhares - 7.abr.2018/Folhapress

Poit reuniu em um ano e oito meses 30 mil contatos, distribuídos em cerca de 120 listas com 250 números em cada. Daniel José, por sua vez, acumulava mais de 4.500 números de telefone, distribuídos em 18 listas.

Ao entrar em contato com o WhatsApp, os candidatos foram informados que usuários do aplicativo haviam denunciado seu conteúdo como spam.

A equipe que coordena a campanha dos dois diz que os eleitores só entravam nas listas de transmissão após pedido nas redes sociais e recebiam cerca de uma mensagem por semana, com vídeos dos candidatos. Segundo Poit, as mensagens eram enviadas a quatro listas por vez, em intervalos de 30 minutos.

"Daniel e Vinicius possuem páginas do Facebook com milhares de seguidores e sempre divulgam o WhatsApp de campanha lá. As pessoas entravam em contato e nos forneciam seus nomes e números", diz Matheus Hector, um dos coordenadores de campanha dos candidatos.

Vinicius Poit desconfia que houve sabotagem política. "A gente nunca violou os termos. Eu produzo os vídeos há mais de um ano. Dias depois que anuncio minha candidatura, juntamente com o Daniel, fomos alvo de denúncias de spam. Eu acredito que foram denúncias em massa com motivação política, por adversários."

Segundo Poit e sua equipe, o WhatsApp não analisou essa possibilidade de denúncias ensaiadas. Mesmo com o banimento definitivo, os candidatos estimam que possam recuperar 25% dos contatos e ainda apostam no aplicativo para a campanha. O partido Novo mantém voluntários trabalhando exclusivamente no WhatsApp.

Aplicativo usa inteligência artificial para barrar números

Com 120 milhões de usuários no Brasil, o WhatsApp, empresa ligada ao Facebook, está se valendo de inteligência artificial para banir pessoas que fazem uso malicioso do aplicativo.

Grupos e listas de transmissão são excluídos quando há um número grande de usuários relatando que o recurso está sendo usado para difundir conteúdo indesejado. Também são excluídos números que mandam muitas mensagens num período curto de tempo.

O uso do mensageiro é uma das principais novidades da atual campanha, ele vem sendo utilizado por diversos candidatos e é estratégico para aqueles que não dispõem de recursos tradicionais, como tempo de televisão. Entretanto o uso do WhatsApp nas eleições ainda carece de regras claras.

Segundo assessoria, o caso dos candidatos do partido Novo não é o primeiro banimento de números do aplicativo relacionado à corrida eleitoral. Até a conclusão desta reportagem, a empresa não informou detalhes sobre o motivo dos banimentos e a quais outros candidatos as atividades maliciosas foram relacionadas.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.