'Deixa de ser caipira', responde guru de Bolsonaro a Doria

À Folha, governador de São Paulo disse que não considera opiniões de Olavo de Carvalho

José Marques
São Paulo

O guru do presidente Jair Bolsonaro (PSL), Olavo de Carvalho, criticou nesta quarta-feira (3) o governador de São Paulo João Doria (PSDB), que afirmou à Folha que não considera importantes as opiniões do escritor.

Ao ser questionado sobre os ataques de Olavo ao vice-presidente Hamilton Mourão, Doria afirmou que não acha importantes as manifestações do guru a respeito do Brasil porque "ele nem sequer vive aqui [e sim nos EUA]".

Olavo foi às redes sociais para responder ao tucano. "Não vou brigar com o Doria", afirmou. 

"Só lhe recomendo estudar História para deixar de ser caipira e tomar conhecimento do grande número de patriotas brasileiros que viveram no exterior, a começar pelo próprio fundador do país, José Bonifácio de Andrada e Silva, e pelo chefe da campanha abolicionista, Joaquim Nabuco", acrescentou o escritor.

Olavo, que exerce influência sobre a ala ideológica do governo Bolsonaro, tem feito sucessivas críticas aos generais que participam da gestão.

No último dia 16, o escritor foi uma das estrelas da festa que precedeu a chegada de Bolsonaro a Washington.

Lá o disse que Mourão é um “cara idiota”, “um estúpido”, uma figura “que não tem ideia do que é a Vice-Presidência”. “Não o critico, eu o desprezo”, soltou.

Em resposta, o ministro general Carlos Alberto dos Santos Cruz, da Secretaria de Governo, disse à Folha que Olavo é inconsequente e seu "desequilíbrio fica evidente".

Mais uma vez, o guru do presidente voltou às redes sociais para fazer ataques. 

“O general Santos Cruz ofende de maneira brutal o nosso presidente: insinua que ele não tem maturidade para escolher sensatamente seus amigos e precisar portanto de um tutor, o próprio Santos Cruz”, disse o escritor.

“O truque do Santos Cruz é camuflar sua mediocridade invejosa sob trejeitos de isentismo e acusar de ‘extremista’ quem o supera intelectualmente.”

Santos Cruz não fez tréplicas dessas declarações.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.