Banco Inter fecha acordo e pagará R$ 1,5 milhão por vazamento de dados

Banco destinará verbas a instituições de caridade e de combate ao crime cibernético

Paula Soprana
São Paulo

O Banco Inter fechou um acordo com o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e pagará uma multa de R$ 1,5 milhão pelo vazamento de dados pessoais de mais de 19 mil clientes. O acordo foi homologado pela Justiça na terça-feira (18). 

Hacker demonstra invasão de sistemas em conferência sobre segurança da informação
Hacker demonstra invasão de sistemas em conferência sobre segurança da informação - Steve Marcus/Reuters

A decisão prevê o pagamento de R$ 1 milhão a instituições públicas de combate ao crime cibernético e R$ 500 mil a instituições de caridade. O despacho não prevê indenização aos correntistas.

Segundo a Promotoria, a ação visa "reparar os danos morais coletivos de caráter nacional decorrentes do vazamento de dados". ​

Em maio, dados cadastrais como CPF, CNPJ, nome completo, banco, agência e número da conta de pessoas físicas e jurídicas foram expostos na internet. A denúncia foi feita pelo site TecMundo.

Depois de negativas à Promotoria, o Banco Inter recolheu provas e confirmou o incidente de segurança. 

De acordo com a ação civil pública, a instituição informou que, durante o processo de migração dos sistemas de tecnologia da informação para a computação em nuvem, recebeu um e-mail de um hacker que pedia um valor em resgate por dados obtidos da instituição. 

O Banco Central do Brasil enviou aos investigadores um CD com os dados cadastrais vazados de 19.961 contas. Segundo o MPDFT, tentativas para a negociação dos dados já ocorriam na deep web.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.