Acesso a dados dá vantagem competitiva a gigantes da tecnologia, diz FTC

Rohit Chopra disse ainda que pequenas multas financeiras não serão o suficiente para lidar com poder dessas grandes empresas

Washington | Reuters

Grandes quantidades de dados de consumidores coletados por gigantes de tecnologia permitem que elas obtenham uma vantagem competitiva e representam uma ameaça à concorrência, afirmou Rohit Chopra, da Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC, sigla em inglês).

Os dados pessoais estão fortalecendo o domínio das empresas de tecnologia que oferecem serviços de graça, que em última análise "não são realmente gratuitos", disse o comissário Chopra, democrata, ao subcomitê antitruste da Câmara dos Deputados durante uma audiência.

Com grande quantidade de dados,gigantes de tecnologia mantêm vantagem competitiva, diz FTC
Com grande quantidade de dados,gigantes de tecnologia mantêm vantagem competitiva, diz FTC - Mike Segar - 15.out.2019/Reuters

Ele também disse que pequenas multas e penalidades financeiras não serão o suficiente para lidar com as preocupações sobre o poder das grandes empresas de tecnologia, acrescentando que os reguladores precisarão examinar isso mais de perto.

Por exemplo, no início deste ano, a FTC multou o Facebook em US$ 5 bilhões (R$ 20,6 bilhões) por violações de privacidade online. Chopra votou contra essa decisão.

Existem várias investigações em níveis federal, estadual e do Congresso, destinadas a determinar se as grandes empresas de tecnologia –Google, Facebook, Amazon , Apple– usam sua influência considerável no mercado online ilegalmente para prejudicar rivais ou violar a lei antitruste.

Antes elogiadas como motores do crescimento econômico, essas empresas estão cada vez mais na defensiva por causa de sua grande influência de mercado. Políticos, incluindo o presidente americano, Donald Trump, consumidores, outras empresas e reguladores criticaram esse poder.

No início desta semana, os líderes do Comitê Judiciário da Câmara disseram que começaram a receber dados dessas empresas como parte de investigação sobre possíveis violações da lei antitruste pelas empresas.

O democrata David Cicilline, que preside o subcomitê antitruste, disse nesta sexta-feira que o comitê recebeu "dezenas de milhares de documentos" e está esperando ainda mais.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.