Há perigoso descolamento entre classe política e sociedade, diz ministro do STF

Luís Roberto Barroso defende, em entrevista, mudança no sistema eleitoral

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso defendeu uma reforma política, pois hoje "há um perigoso descolamento entre a classe política e a sociedade civil".

Com o modelo atual, destaca Barroso, cerca de 5% dos candidatos são eleitos com base nos próprios votos; os demais são eleitos devido à lógica de distribuição dos votos dentro dos partidos.

A entrevista do ministro faz parte de série realizada pelo UM BRASIL (plataforma multimídia apoiada pela FecomercioSP ) e Fundação Brava, em parceria com o Cepesp-FGV (Centro de Política e Economia do Setor Público). 

"Hoje o eleitor não sabe quem está elegendo", o que leva a uma baixa representatividade da classe política, afirma o ministro, que culpa o atual sistema de voto proporcional, em lista aberta (e até as últimas eleições também eram permitidas coligações, que passarão a ser vetadas).

Barroso defende a adoção do voto distrital misto, ideia que tramita no Congresso.

Na entrevista, o ministro também comentou sobre o estudo “Os custos da campanha eleitoral no Brasil: uma análise baseada em evidência”, lançado pela FGV e Brava, durante o evento “O poder do dinheiro nas campanhas eleitorais”.

O ministro Luis Roberto Barroso no Supremo Tribunal Federal
O ministro Luis Roberto Barroso no Supremo Tribunal Federal - Pedro Ladeira - 31.ago.2018/Folhapress

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.