Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
05/10/2012 - 09h00

Inflação em setembro é a maior para o mês desde 2003, aponta IBGE

Publicidade

DO RIO

Atualizado às 09h40.

Índice oficial da inflação do país, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) registrou alta de 0,57% em setembro, divulgou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira (5). A taxa representa uma aceleração frente à taxa de agosto, que havia sido de 0,41%.

A inflação de setembro foi a mais elevada desde abril deste ano (0,64%). Para os meses de setembro, o índice teve a maior variação desde 2003 (0,78%), quando o país ainda sofria os efeitos de um choque cambial provocado pela crise de confiança detonada pelas eleições presidenciais do ano anterior e que teve impacto sobre os preços.

Índice que corrige salário mínimo sobe 0,63% em setembro, aponta IBGE

Com o resultado de setembro, a inflação acumula alta de 3,77% neste ano.

Nos últimos 12 meses encerrados em setembro, o índice soma alta de 5,28%.

A maior pressão sobre o índice geral de preços foi reflexo da alta mais intensa do grupo alimentação (1,26%). Sozinho o grupo correspondeu a 53% da variação do IPCA em setembro, com elevação de 0,38 ponto percentual frente à taxa de agosto, quando o grupo subiu 0,88%.

Nesse grupo, os aumentos de destaque, em setembro, ficaram com carnes (2,27%), arroz (8,21%), pão francês (3,71%) e frango (4,66%). Em habitação, a alta de maior impacto ficou com energia elétrica (0,83%). Já a taxa negativa do grupo transporte refletiu a queda de preços dos veículos usados (-1,62%) e gasolina (-0,13%).

Também registraram altas expressivas os grupos habitação (0,71%) e vestuário (0,89%). Por outro lado, a deflação de 0,08% dos itens de transporte impediu um avanço maior da inflação em agosto.

Segundo o último boletim Focus, do Banco Central, a projeção do mercado neste ano para inflação foi elevada (pela 12ª semana consecutiva), passando de 5,35%, na semana passada, para 5,36% na segunda-feira. Há um mês a estimativa era de 5,20%. Para 2013, a previsão foi reduzida de 5,50% para 5,48%. A meta de inflação do governo para 2012 é 4,5%, com teto de 6,5%.

(PEDRO SOARES)

Editoria de Arte/Folhapress

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página