Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
16/02/2013 - 04h00

'Custo China' faz Mattel transferir parte da produção de brinquedos para o Brasil

Publicidade

DA REUTERS
THIAGO SANTOS
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

O aumento de custos na China levou a Mattel, maior fabricante mundial de brinquedos, a transferir parte da sua produção para o Brasil, em lugar do país asiático.

"A decisão visa aumentar a eficiência. Não quer dizer que não continuaremos na China", disse Lisa McKnight, vice-presidente sênior de marketing da divisão norte-americana da Mattel.

O aumento rápido dos salários e os custos de transporte estão diminuindo o interesse de empresas exportadoras em produzir na China.

Produzir localmente ajuda a Mattel a levar brinquedos às lojas mais rápido, reduz as tarifas de importação e diminui os custos associados ao movimento de estoques.

No Brasil, a expansão é feita por meio de parcerias com outros fabricantes. Há acordos com a Grow (para produzir quebra-cabeças) e com a Copag, para jogos de cartas.

Uma nova parceria será feita neste semestre. O nome da empresa ainda não foi anunciado, mas, segundo Ricardo Roschel, diretor de operações da fabricante, ela tem porte semelhante ao da Grow.

Metade do que a Mattel vende no Brasil é produzido no país. Roschel diz, que a meta é aumentar a produção local. Será "um avanço arrojado", diz, sem dar números

Outro ponto ainda não definido é se haverá queda nos preços dos produtos. O Brasil é o segundo principal mercado da Mattel -atrás dos EUA. O setor de brinquedos faturou R$ 3,81 bilhões em 2012, dizem as fabricantes.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página