Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
27/10/2010 - 12h39

Morte de Kirchner terá reflexo nas eleições do próximo ano na Argentina, diz especialista

Publicidade

DE SÃO PAULO

Morreu na manhã desta quarta-feira Néstor Kirchner, ex-presidente da Argentina. Kirchner tinha 60 anos e teria sofrido uma parada cardiorrespiratória com morte súbita, de acordo com a imprensa local. Ele estava em El Calafate, na região da Patagônia, com sua esposa, a atual presidente da Argentina, Cristina Kirchner.

Ouça a Rádio Folha
Cristina Kirchner enfrentará o desafio de governar sem o marido
Veja campanhas que levaram Néstor Kirchner à Presidência da Argentina

De acordo com Mário Sacchi, professor de relações internacionais da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing), a morte de Kirchner representa o fim de uma era na Argentina comandada pelo casal.

Além disso, diz Sacchi, o acontecimento pode atingir diretamente as eleições que acontecem no país em 2011.

Mário Sacchi

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página