Na TV, Huck comenta eleições e diz que não existe 'salvador da pátria'

Crédito: Igor Moura/Divulgação O apresentador Luciano Huck participa do Connect Samba, evento sobre vídeos online, na manhã desta terça-feira (7), em São Paulo
Luciano Huck participa do Connect Samba, evento sobre vídeos online, em São Paulo

DE SÃO PAULO

Convidado para um quadro do "Domingão do Faustão" (TV Globo) no domingo (7), o apresentador Luciano Huck afirmou que não existe "salvador da pátria" capaz de resolver os problemas do Brasil e que é preciso aproveitar o momento de "derretimento da classe política" para "reocupar esse espaço".

Faustão havia pedido que Huck falasse sobre suas perspectivas e explicasse por que é otimista com o futuro.

"A gente tem que acreditar. Nesse último ano, eu fui até dragado por uma discussão que eu não levantei a mão, que é você começar a tentar pensar quais são as possibilidades concretas para o Brasil neste ano. Me propus a colocar um pouco a cara na rua e tentar mobilizar a minha geração", disse Huck, acompanhado por sua mulher, Angélica.

O global foi cortejado por alguns partidos políticos, sobretudo pelo PPS, para se lançar candidato à Presidência nas eleições deste ano. Em novembro, ele publicou um artigo na Folha afirmando que não seria candidato, mas que atuaria na política por meio de movimentos cívicos.

O apresentador e empresário disse que 2018 será "um ano superimportante" e criticou quem defende o retorno à ditadura militar: "Não existe isso".

"Nosso papel é de que as pessoas saibam que o voto é o melhor jeito e o único jeito de transformar", ele disse.

Huck também criticou quem defenda que uma só pessoa —um "salvador da pátria"— possa resolver os problemas do país. "Não adianta a gente achar que vai ter um salvador da pátria que vai resolver esse problema. Quem falar isso é mentira."

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.