Presidente do TRF-4 quer se fazer de vítima, diz vice-presidente do PT

Crédito: Danilo Verpa/Folhapress Petistas inauguram Comitê Popular em defesa da Candidatura de Lula em São Paulo
Petistas inauguram Comitê Popular em defesa da Candidatura de Lula em São Paulo

ANNA VIRGINIA BALLOUSSIER
DE SÃO PAULO

Para o vice-presidente do PT Alexandre Padilha, o presidente do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), Carlos Eduardo Thompson Flores, deveria ser mais cauteloso ao se dizer apreensivo com possíveis ataques no dia 24, quando a corte que preside julgará o ex-presidente Lula. "Ou começa a virar falácia, tentativa de se transformar em vítima", disse o petista neste sábado (13), em ato no diretório do partido em São Paulo.

Na véspera, Flores afirmou a congressistas petistas que os juízes estão recebendo ameaças e que alguns deles tiraram suas famílias do Estado. Ele citou o caso de uma pessoa do Mato Grosso do Sul que tem dito que vai atacar fisicamente o prédio do TRF-4.

Se de fato houve ameaça, "isso é muito grave", e Flores deveria pedir imediatamente investigação da Polícia Federal, segundo Padilha. "Quem foi? Somos os mais interessados em saber." O que não dá, continuou, "é criar clima de intolerância, de ódio".

O PT precisa ficar atento, afirmou o dirigente político, são com "infiltrados que podem atrapalhar manifestações", com o intuito de tumultuar os vários "atos pacíficos" que a sigla organiza para os próximos 11 dias, até o julgamento. "Da nossa parte, o caldo não vai entornar."

Padilha acusou o TRF-4 de "criar um fura-fila de processos", passando o caso de Lula à frente "inclusive do processo contra a esposa de Eduardo Cunha", a jornalista Claudia Cruz.

"Aqui é Lula, porra! Chora, coxinhada!", bradou um militante enquanto segurava uma camisa com a imagem do petista recém-grafitada. Como trilha sonora, jingles vintage do partido, de "Lula Lá" a um feito para a campanha de Aloizio Mercadante ao governo paulista, em 2010.

O ato aconteceu num prédio na Sé que teve a fachada coberta por uma enorme faixa com o rosto do ex-presidente e o slogan político "eleição sem Lula é fraude". Seguiu-se a outro encontro promovido pelo PT, desta vez no diretório municipal, horas antes. Segundo Padilha, o partido já lançou 6.000 comitês populares em defesa da candidatura lulista –um deles, em Pernambuco, materializou-se na forma de um bloco carnavalesco, o Sapo Barbudo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.