Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
22/09/2010 - 17h09

Juristas apontam 'marcha para o autoritarismo' de Lula em evento em SP

Publicidade

FLÁVIO FERREIRA
DE SÃO PAULO

Juristas afirmaram que o governo Lula demonstra estar no caminho do autoritarismo ao criticar veículos de mídia e desrespeitar as instituições, durante ato pela democracia e a liberdade de imprensa realizado hoje no Largo de São Francisco, no centro de São Paulo.

O momento mais importante do ato foi a leitura de um manifesto no parlatório do largo, um tradicional local de manifestações pela democracia. O texto foi lido pelo advogado Hélio Bicudo, que foi um dos fundadores do PT e deixou a legenda em 2005.

Acompanhe a Folha Poder no Twitter
Conheça nossa página no Facebook

De acordo com o manifesto, "é intolerável assistir ao uso de órgãos do Estado como extensão de um partido político, máquina de violação de sigilos e de agressão a direitos individuais" e "é inaceitável que a militância partidária tenha convertido os órgãos da administração direta, empresas estatais e fundos de pensão em centros de produção de dossiês contra adversários políticos".

Antes de fazer a leitura do texto, Bicudo afirmou que o presidente Lula "tenta desmoralizar a imprensa e todos aqueles que se opõem ao seu poder pessoal" e que "estamos à beira do perigo de um governo autoritário, que vai passar por cima, como já está passando, da Constituição e das leis".

Participaram do ato, entre outras personalidades, os ex-ministros da Justiça José Gregori, Miguel Reale Júnior, José Carlos Dias e Paulo Brossard, o presidente nacional do PPS, Roberto Freire, e o rabino Henry Sobel.

Os organizadores da manifestação estimaram o público entre 1.000 e 1.500 pessoas. De acordo com a Polícia Militar, o evento foi acompanhado por cerca de cem pessoas.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página