Saltar para o conteúdo principal Saltar para o menu
Publicidade

Serafina

Ópera de Mozart, 'A Flauta Mágica' ganha versão feminista no Municipal

Mais opções
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
  • RSS

A ópera de dois atos do músico alemão Wolfgang Amadeus Mozart (1756-91), "A Flauta Mágica" terá seis apresentações em dezembro no Theatro Municipal de São Paulo.

A peça será dirigida por André Heller-Lopes, que conta que declinou diversos convites para fazer parte da montagem devido à base misógina e racista da obra.

"No momento que aprendi a falar alemão me deparei com frases como 'menina, você não pode ficar aspirando um tipo de inteligência que a mulher não tem, tem que deixar o homem te guiar' ou com contestações sobre se o negro era feito de carne e osso", diz.

Sem alterar os diálogos originais, a solução que encontrou, segundo o diretor, foi explorar a complexidade dos personagens.

"Essas frases eram ditas por pessoas que deveriam representar a sabedoria, não por vilões. Já essa é uma Flauta feminista. Na minha montagem você se questiona se quem fala é bom ou mau. Isso se reflete na direção de atores, na maneira como a cenografia é montada", diz.

As apresentações serão feitas de 15 a 21 de dezembro, com exceção do dia 18. A ópera tem 3h20 de duração com um intervalo, e os ingressos variam de R$6 a R$120.

VEJA MAIS

Abertura de "A Flauta Mágica"

Mozart - A Flauta Mágica - Abertura

Mais opções
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
  • RSS

Livraria da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade
[an error occurred while processing this directive]

Envie sua notícia

Siga a folha

Livraria da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Voltar ao topo da página