Governo suspende proibição de pesca de lagostas e camarões no litoral brasileiro

O Ministério da Agricultura verificou que não tem havido uma contaminação das espécies marinhas que justifique a paralisação da atividade pesqueira

Gustavo Uribe
Brasília

O Ministério da Agricultura suspendeu nesta quarta-feira (30) a proibição a partir de novembro da pesca de lagostas e camarões no litoral nordestino, afetado desde o final de agosto por um grande vazamento de óleo.

A ministra Tereza Cristina informou que, após a conclusão de análise da pasta, verificou-se que não tem havido uma contaminação das espécies marinhas que justifique a paralisação da atividade pesqueira.

Na terça-feira (29), devido à proibição, o Ministério da Agricultura ampliou o pagamento de seguro defeso. O benefício é concedido a pescadores no período de proibição da pesca comercial.
 

Desde o dia 30 de agosto, as manchas de óleo já atingiram 249 localidades em 92 municípios dos nove estados do Nordeste.

Nesta quarta-feira (30), o presidente interino Hamilton Mourão afirmou que o presidente Jair Bolsonaro pode anunciar ainda nesta semana que navio causou o derramamento de óleo no litoral brasileiro. Segundo ele, o governo brasileiro chegou a um número de onze navios que podem ter derramado combustível no litoral nordestino.

O responsável pelo desastre ambiental, de acordo com o presidente interino, não estava com o transponder desligado. O equipamento de comunicação informa a posição e a altitude da embarcação.
Segundo Mourão, pelo que foi apurado até o momento, o navio responsável pelo derramamento não é ilegal e teria causado o incidente ao fazer uma ejeção de óleo para manter a estabilidade da embarcação.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.