Petróleo em praias do Nordeste 'muito provavelmente' é da Venezuela, diz Salles

Petrobras diz já ter recolhido 133 toneladas do resíduo oleoso

Jake Spring
Brasília | Reuters

O petróleo que tem atingido dezenas de praias no Nordeste muito provavelmente é de origem venezuelana e deve ter vindo do derramamento “acidental ou não” de um navio perto da costa brasileira, disse nesta quarta-feira o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

“Esse petróleo que está vindo muito provavelmente é da Venezuela, como disse o estudo do Petrobras. É um petróleo que vem de um navio estrangeiro, ao que tudo indica, navegando perto da costa brasileira, com derramamento acidental ou não”, disse Salles em audiência na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados.

Salles de colete amarelo
O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, em meio a praia contaminada por óleo - Mário Sousa/ASN

O ministro admitiu que há “enorme dificuldade de conter” as manchas de óleo, mas ressaltou que não se trata de uma “inação dos órgãos públicos”.

O Ministério da Informação da Venezuela e a petroleira estatal PDVSA não responderam de imediato a um pedido por comentários.

Autoridades brasileiras investigam há mais de um mês a misteriosa origem do petróleo que se espalhou por centenas de quilômetros de praias em nove estados do Nordeste.

A Petrobras, que participa dos trabalhos de limpeza das praias, informou na véspera que já recolheu 133 toneladas de resíduo oleoso.

As declarações de Salles nesta quarta-feira vieram em meio a argumentos do ministro para que o Brasil institua melhores mecanismos de controle de derramamentos de petróleo.

O ministro também defendeu os esforços realizados por autoridades ambientais, militares e outros órgãos para limpeza e investigação do caso.

​ Viu manchas de óleo no litoral do Nordeste? Mande seu relato para a Folha ​ ​

Com Brian Ellsworth, em Caracas

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.