Fragmentos de óleo chegam pela primeira vez ao litoral do Rio de Janeiro

Material foi encontrado na praia de Grussaí, em São João da Barra

São Paulo

Fragmentos de óleo foram encontrados, pela primeira vez, no litoral do estado do Rio de Janeiro. Uma pequena porção —cerca de 300 gramas—, de óleo foi recolhida na praia de Grussaí, na cidade de São João da Barra, nesta sexta-feira (22).

Vista da praia de Grussaí, em São João da Barra, no Rio
Vista da praia de Grussaí, em São João da Barra, no Rio - Divulgação/Prefeitura de São João da Barra

Segundo a força-tarefa formada por Marinha, Ibama e ANP (Agência Nacional de Petróleo), o óleo que atingiu a praia do litoral norte fluminense passou por análise do Instituto de Estudo do Mar Almirante Paulo Moreira. “[O material] é compatível com encontrado no litoral da região Nordeste e Espírito Santo”, concluiu o instituto.

A Marinha informou, por meio de nota, que uma equipe de militares está no local para monitorar e limpar a praia. Servidores do Ibama também estão a caminho.

A praia de Grussaí está localizada a cerca de 8 km do centro de São João da Barra. Ela foi batizada com esse nome por causa de uma espécie de caranguejo que habita a região, o grauçá. Diferentemente das praias vizinhas, Grussaí possui uma extensa faixa de areia e um mar de águas escuras.

Segundo a prefeitura da cidade, a praia sedia shows realizados na alta temporada que atraem muitos turistas.

Após ter se espalhado pelos nove estados nordestinos (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe), o produto de origem ainda desconhecida agora avança pela região Sudeste em direção ao sul. 

Balanço do Ibama divulgado nesta sexta apontou que o óleo já atingiu 724 localidades em 120 municípios de dez estados brasileiros. A ocorrência na praia fluminense não foi registrada.

Fragmentos de óleo retirados da praia de Grussaí, no litoral fluminense
Fragmentos de óleo retirados da praia de Grussaí, no litoral fluminense - Divulgação

BOLSONARO COMENTA CHEGADA DO ÓLEO NO RIO

O presidente Jair Bolsonaro  foi questionado, na manhã deste sábado (23), sobre a chegada do óleo na orla fluminense. “Nós gostaríamos muito que fosse identificado, no meu entender, esse ato criminoso. Agora, não sabemos o quanto de óleo ainda tem no mar. Na pior hipótese, um petroleiro, caso tenha jogado no mar toda a sua carga, menos de 10% chegou em nossa costa ainda, então nós nos preparamos para o pior. Pedimos a Deus que isso não aconteça", disse.

Bolsonaro concedeu as declarações na Vila Militar, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, após uma cerimônia para comemorar os 74 anos de criação da Brigada de Infantaria Paraquedista do Exército e homenagear os militares que estão completando 25 ou 50 anos de formados.

 

Colaborou Júlia Barbon

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.