Siga a folha

Acerto de última hora impede 1º jogo da seleção sem TV em 19 anos

Partida contra Peru pelas Eliminatórias nesta terça seria exibida apenas por streaming

Continue lendo com acesso ilimitado.
Aproveite esta oferta especial:

Oferta Exclusiva

3 meses por R$1,90

+ 6 de R$ 19,90 R$ 9,90

ASSINE A FOLHA

Cancele quando quiser

Notícias no momento em que acontecem, newsletters exclusivas e mais de 200 colunas e blogs.
Apoie o jornalismo profissional.

São Paulo

A pouco mais de uma hora do jogo da seleção brasileira contra o Peru, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) anunciou que adquiriu os direitos de transmissão da partida e a exibirá pela TV Brasil, além do seu site, para todo o país.

Isso impediu que, depois de 19 anos e sete meses, a equipe nacional voltasse a ter um jogo sem transmissão de uma emissora de TV do país, aberta ou fechada.

Até então, a partida desta terça-feira, às 21h (de Brasília), contra o Peru, pela segunda rodada das Eliminatórias, estaria disponível apenas no streaming. Em português, a única opção seria a plataforma EI Plus, da Turner.

Outra opção para ver o confronto, com transmissão em língua espanhola, é o equatoriano El Canal Del Fútbol (ECDF), no YouTube, também mediante pagamento de assinatura.

"A CBF aguardou até o último momento pelo desfecho das negociações, que se estenderam até a tarde desta terça-feira, entre as emissoras brasileiras de TV aberta e a empresa detentora dos direitos da partida, que pertencem originalmente à entidade mandante do jogo, a Federação Peruana de Futebol, através de sua representante, a GolTV Peru", afirmou a entidade em nota.

"Como não houve sucesso nestes acordos, a CBF decidiu garantir que a torcida brasileira possa assistir ao jogo em televisão pública e aberta em todo o país. Para isso, negociou a compra dos direitos em condições que permitem exclusivamente a transmissão por uma TV pública aberta no país e pelo site oficial da entidade", completou.

ORG XMIT: 552501_1.tif Futebol - Jogo amistoso - Brasil 2 x 1 EUA: o atacante Romário, da seleção brasileira, disputa bola com adversário no estádio Rose Bowl, em Pasadena. Los Angeles, EUA, 03.03.2001, foto de Caio Guatelli/Folhapress /Digital - Caio Guatelli/Folhapress

Em 3 de março de 2001, o Brasil enfrentou os Estados Unidos em amistoso no estádio Rose Bowl (mesmo palco do título mundial de 1994) e nenhuma emissora do país se interessou em mostrá-lo ao vivo.

"Segunda partida da equipe sob o comando do técnico Leão não será transmitida para o Brasil pela TV, fato incomum nos últimos anos", escreveu a Folha na edição daquele dia.

Segundo o site "Papo de Bola", especializado em notícias sobre TV, rádio e transmissões esportivas, a Globo manteve sua programação normal, com as novelas "O Cravo e a Rosa" e "Um Anjo caiu do Céu", no horário do jogo, que aconteceu em um sábado, às 18h de Brasília.

Outras emissoras que exibiam futebol, como a Bandeirantes, também não compraram os direitos.

Sob o comando de Emerson Leão, a seleção venceu por 2 a 1, gols de Ronaldinho Gaúcho e Euller. Clint Mathis fez o gol americano. O treinador brasileiro foi demitido três meses depois, após campanha ruim na Copa das Confederações.

A partida desta terça será a primeira da equipe desde 2017 a não ser mostrada pela Globo. Amistoso contra a Argentina naquele ano foi exibido pela TV Cultura em São Paulo às afiliadas da TV Brasil, controlada pelo governo federal.

O confronto em Lima a princípio não teria transmissão porque nenhuma emissora do país entrou em acordo com a empresa espanhola Mediapro para o pacote de jogos de 8 das 10 seleções que participam das Eliminatórias sul-americanas (Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai, Venezuela) para as duas primeiras rodadas.

Pelo modelo implantado pela Conmebol (a Confederação Sul-Americana), a seleção mandante tem o direito exclusivo de negociar as transmissões de suas partidas em casa. Até a última edição, a entidade cuidava de tudo e vendia em um pacote fechado.

A Globo tem contrato com a CBF, e as exibições dos jogos da seleção brasileira em casa estão garantidas, assim como o confronto em Buenos Aires contra a Argentina. A federação do país vizinho também fechou acordo com a emissora.

A próxima negociação terá de ser feita para a quarta rodada, em 17 de novembro, quando o Brasil enfrentará o Uruguai em Montevidéu.

Receba notícias da Folha

Cadastre-se e escolha quais newsletters gostaria de receber

Ativar newsletters

Relacionadas