Wajngarten diz que pediu à CBF para TV Brasil transmitir jogo da seleção

Direito da partida, porém, é da federação peruana, que negociou com empresa de mídia

Brasília

O secretário-executivo do Ministério das Comunicações, Fabio Wajngarten, afirmou que pediu autorização à CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para que a TV Brasil transmita o jogo entre a seleção brasileira e o Peru, na noite desta terça-feira (13).

No entanto, os direitos de transmissão do jogo, que ocorre em Lima, pertencem à Federação Peruana de Futebol, que os negociou com uma empresa de mídia.

"Uma Nação apaixonada pelo futebol ficará sem ver hoje a Seleção jogar contra o Peru, pelas Eliminatórias. O jogo será transmitido apenas pela TV fechada. Em conversa há pouco com a direção da CBF, pedi autorização para a TV Brasil transmitir a partida. Vamos torcer", escreveu Wajngarten em uma rede social.

O secretário-geral da CBF, Walter Feldman, disse à Folha que conversou com Wajngarten, que lhe fez o pedido, mas que a decisão não depende da entidade.

"Ele nos fez esse apelo, mas é uma questão comercial a ser tratada. Nós não temos nenhum indicativo ainda disso, mas realmente ele fez o pedido. A resposta em relação ao pedido nós não temos porque depende da Federação Peruana e da [empresa] MediaPro", afirmou Feldman. "Eu estou conversando com a nossa área jurídica e a área de mídia para fazer o retorno ao Fabio Wajngarten."

Em seu artigo 84, a Lei Pelé, de 1998, determina que "todos os jogos das seleções brasileiras de futebol, em competições oficiais, deverão ser exibidos, pelo menos, em uma rede nacional de televisão aberta, com transmissão ao vivo, inclusive para as cidades brasileiras nas quais os mesmos estejam sendo realizados". Esse trecho foi incluído por uma lei de 2000.

"As empresas de televisão de comum acordo, ou por rodízio, ou por arbitramento, resolverão como cumprir o disposto neste artigo, caso nenhuma delas se interesse pela transmissão. O órgão competente fará o arbitramento", completa.

A assessoria de comunicação da Federação Peruana afirmou que não está em negociações e que os interessados precisam entrar em contato com a GolTV Latinoamerica: "A Federação Peruana de Futebol respeita os direitos internacionais cedidos à GolTV Latinoamerica".

Após a publicação de Wajngarten, a CBF divulgou uma nota em que reafirma não ser responsável por qualquer negociação dos direitos da partida desta terça.

"Os direitos de transmissão do referido jogo pertencem exclusivamente à entidade mandante da partida, no caso, a Federação Peruana de Futebol, não cabendo à CBF qualquer negociação ou autorização em relação à transmissão da partida."

O jogo será o segundo da seleção brasileira pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022.

No Brasil, a partida só poderá ser vista no streaming. O EI Plus, plataforma da empresa americana Turner, comprou os direitos de transmissão do duelo.

A assinatura do serviço, que também exibe Champions League, Liga das Nações e alguns jogos do Campeonato Brasileiro, custa R$ 19,90 por mês ou R$ 13,90 no plano anual.

Também é possível ter acesso ao EI Plus em plataformas que dão acesso a ele e outros canais, como o UOL Esporte Clube e a Guigo TV, com preços variando de acordo com os pacotes.

Será a primeira vez desde junho de 2017 que uma partida da seleção brasileira não terá transmissão do Grupo Globo. Naquele mês, a equipe nacional fez dois amistosos que tiveram geração de imagens da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e exibição na TV Cultura, TV Brasil e plataformas online.

Na época, o contrato da emissora carioca com a CBF para os amistosos havia vencido. Posteriormente, a Globo fechou novo acordo com a confederação até 2022, mas ele não vale para todos os jogos das Eliminatórias.

Jogadores abraçados em rodinha
Jogadores do Brasil no primeiro jogo da seleção nas Eliminatórias, contra a Bolívia - Buda Mendes/AFP

Isso porque a negociação dos direitos da competição mudou de formato em relação a edição anteriores. A Conmebol determinou que cada associação nacional tem direito a vender as exibições dos confrontos em que a sua seleção é mandante. Até então, o contrato era fechado de maneira direta com a Confederação Sul-Americana.

O EI Plus chegou a um acordo com oito seleções para a transmissão de jogos nas duas primeiras rodadas das Eliminatórias: Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

A Globo por enquanto tem direito às partidas da seleção brasileira em casa. A emissora também conseguiu acordo com a AFA (Associação Argentina de Futebol) para os jogos que a Argentina fará como mandante, incluindo o contra o Brasil. São as duas entidades que não entraram no pool formado pela empresa espanhola Mediapro com as demais federações.

Os jogos da terceira e quarta rodadas, que acontecerão de 12 a 17 de novembro, ainda estão em aberto. No dia 12, o Brasil enfrentará a Venezuela no Morumbi. Essa transmissão está garantida na Globo. Mas o confronto com o Uruguai cinco dias depois, em Montevidéu, ainda não tem exibição definida.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.