Descrição de chapéu Homem na Lua, 50

Trump recebe os astronautas da Apollo 11 Buzz Aldrin e Michael Collins

Na Casa Branca, presidente americano reafirmou que prefere priorizar a chegada a Marte antes do retorno à Lua

Washington | AFP

O presidente americano, Donald Trump, recebeu os astronautas da missão Apollo 11 Buzz Aldrin e Michael Collins na Casa Branca, na sexta-feira (19), por ocasião do aniversário de 50 anos da chegada do homem à Lua.

"Dia 20 é um grande dia", disse Trump. "São 50 anos depois do dia em que plantamos a linda bandeira americana na Lua", acrescentou o mandatário, que aproveitou a ocasião para dizer ao chefe da agência espacial Nasa, Jim Bridenstine, que prefere priorizar a chegada a Marte antes do retorno à Lua.

Aldrin e Collins são os únicos dois tripulantes da Apollo 11 que continuam vivos.

Neil Armstrong, o comandante da missão e o primeiro homem a pisar na Lua, morreu em 2012. Seus filhos Eric e Marke e seus familiares estiveram no Salão Oval.

O presidente dos EUA, Donald Trump, e a primeira-dama, Melania Trump, recebem os astronautas Michael Collins (de terno claro, à esq.) e Buzz Aldrin (à direita) e os familiares de Neil Armstrong, na Casa Branca
O presidente dos EUA, Donald Trump, e a primeira-dama, Melania Trump, recebem os astronautas Michael Collins (de terno claro, à esq.) e Buzz Aldrin (à direita) e os familiares de Neil Armstrong, na Casa Branca - AFP

Buzz Aldrin, de 89 anos, desceu na Lua logo depois de Armstrong. Michael Collins permaneceu em órbita lunar no módulo de comando Columbia, o único meio de transporte dos astronautas para voltar para a Terra.

O aniversário da missão será comemorado neste sábado em Houston, onde fica a sala de controle da Nasa, no Centro Espacial Johnson.

"Acabamos de ter uma excelente reunião com o presidente Donald Trump! Discutimos o futuro dos Estados Unidos no espaço, as formas de abordar os desafios espaciais e a necessidade de continuar explorando para além do horizonte", tuitou Aldrin.

"Que os Estados Unidos continuem sendo grandes no espaço", concluiu o astronauta.

Trump voltou a falar sobre sua preferência pelo investimento em missões diretamente para Marte, mas Bridenstine lhe explicou que a Lua é o local adequado para aperfeiçoar a tecnologia necessária para manter humanos vivos durante períodos longos no espaço e será uma porta de entrada para missões mais longas e ambiciosas no sistema solar. 

Trump perguntou o que Collins achava disso, e ele respondeu sem titubear: "Direto para Marte". 

"Quem sabe melhor que essas pessoas?", perguntou Trump.

No fim, porém, o presidente expressou sua confiança no chefe da Nasa, e lhe disse diretamente: "Você fez um trabalho fantástico". "Agradeço por isso, senhor", respondeu Bridenstine. 

Erramos: o texto foi alterado

Diferentemente do informado anteriormente, o nome do chefe da Nasa é Jim Bridenstine, não Kim Bridenstine

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.