Morre adolescente de 15 anos baleada na cabeça em confronto no Rio

Jovem foi atingida na última sexta-feira e estava internada desde então

Homens das Forças Armadas fazem patrulhamento com armas de alto calibre pela favela da Rocinha
Ação das Forças Armadas durante operação na Rocinha em janeiro; confrontos no Rio deixaram cinco crianças e adolescentes feridos ou mortos na última semana - Mauro Pimentel - 25.jan.2018/ AFP
Nicola Pamplona
Rio de Janeiro

Morreu neste domingo (11) a adolescente Evelyn da Silva Coelho, 15, que foi baleada na última sexta-feira (9), durante um confronto entre criminosos na zona oeste do Rio de Janeiro.

Os tiroteios que assustaram os moradores da região da praça Seca também provocaram ferimentos em Luiz Miguel Oliveira, 7, atingido por por um tiro de raspão no ombro quando estava dentro de casa. Ele já recebeu alta.

Evelyn estava internada no Hospital Municipal Miguel Couto, mas não resistiu aos ferimentos. Ela foi baleada na cabeça em circunstâncias ainda não esclarecidas.

Os confrontos começaram na madrugada de sexta. Pela manhã, a polícia realizou uma incursão na favela para tentar conter os tiroteios.

Segundo moradores, a região vive uma guerra entre milicianos e uma facção criminosa pelo controle do território.

Com os casos de Evelyn e Lucas, subiu para cinco o número de crianças e adolescentes vítimas de tiros na região metropolitana da capital fluminense na última semana.

Um deles, Jeremias Moraes da Silva, 13, foi atingido na última quinta (8) quando retornava para casa após um jogo de futebol no complexo de favelas da Maré. Naquele dia, tiroteios forçaram o fechamento de três das principais vias de acesso à cidade.

As outras vítimas menores de idade registradas na última semana foram a menina Emilly Sofia Neves Marriel, 3, morta durante assalto em Anchieta, na zona norte, e João Pedro Soares da Costa, 4, que está hospitalizado em estado grave após ter sido atingido por bala perdida em São Gonçalo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.