Confronto com traficantes deixa policial morto na favela da Rocinha, no RJ

Estrada Lagoa-Barra também fechou por 1 hora e meia devido aos confrontos

Imagem da favela da Rocinha, na zona sul do Rio, que tem sofrido com tiroteios nos últimos meses
Imagem da favela da Rocinha, na zona sul do Rio, que tem sofrido com tiroteios nos últimos meses - Leo Correa - 31.mar.18/ AP
Rio de Janeiro

Um policial militar morreu, na tarde desta quarta-feira (9), durante confronto com traficantes na favela da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro. Pelas redes sociais, moradores relatam intenso tiroteio em vários pontos da comunidade.

O sargento Anderson Luiz Rosa da Conceição, 40, precisou ser socorrido por um helicóptero da PM e foi levado ao HCPM (Hospital Central da Polícia Militar), onde morreu. Ele fazia parte da equipe que participa da operação continuada na favela. Em nota, a PM lamentou a morte. 

Ao menos dois moradores ficaram feridos na ação desta quarta. Um deles, identificado apenas como Cristiano, foi ferido no pescoço e levado para o Hospital Municipal Miguel Couto. A Secretaria Municipal de Saúde informou que ele foi atendido e já recebeu alta.

Um segundo PM também teria ficado ferido, mas já foi liberado pelos médicos após atendimento, segundo informações do Jornal Nacional, na TV Globo. 

“No horário de pico, morador chegando em casa, crianças saindo da escola e creche... até que ponto essa palhaçada?”, questionou uma moradora pelo Facebook. “Toda vez eles estão fazendo isso. É na hora das crianças saindo da escola e ao amanhecer. Não temos mais paz . Todos os dias, é tiro. Muito revoltante e triste, ao mesmo tempo”, lamentou outro morador.

Devido à troca de tiros na região, a autoestrada Lagoa-Barra foi fechada nos dois sentidos por volta das 17h e só foi reaberta uma hora e meia depois. 

Os confrontos começaram por volta das 14h30 e continuavam às 18h30. O Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) e o Grupamento Aeromóvel da PM também foram acionados para auxiliar o Batalhão de Choque no combate aos criminosos. 

UOL
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.