Descrição de chapéu Rio de Janeiro

Doutor Bumbum é preso no Rio após morte de paciente

Denis César Barros Furtado estava foragido desde o fim de semana; sua mãe também foi presa

Lucas Vettorazzo
Rio de Janeiro

A Polícia Militar do Rio de Janeiro prendeu na tarde desta quinta-feira (19) o médico Denis César Barros Furtado, conhecido como Dr. Bumbum, que estava foragido há quatro dias. Sua mãe, Maria de Fátima Furtado, 66, também está presa. 

Doutor Bumbum e sua mãe, lado a lado, em foto com nome da PM atrás
Doutor Bumbum e sua mãe, Maria de Fátima Barros Furtado, são presos no Rio - Divulgação/PMRJ

Ele é acusado pela morte de uma paciente, a bancária Lilian Calixto, 46, que faleceu na madrugada de domingo (15) após ter sido submetida a um procedimento estético realizado no apartamento do médico, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. A prisão temporária do médico e de sua mãe foi decretada logo após a morte. 

O médico foi encontrado por policiais em um centro empresarial na Barra da Tijuca, zona norte da cidade, após receberam informações por meio do Disque-Denúncia. A ação surpreendeu aos envolvidos, já que os suspeitos negociavam os termos para a entrega ainda nesta quinta. 

A bancária buscava um procedimento para aumentar o glúteo. A intervenção ocorreu no sábado (14) e a paciente foi socorrida pelo próprio médico, pela mãe dele, que teria atuado como auxiliar, e ainda pela namorada de Denis, que afirma que trabalhava apenas como secretária. Os três aparecem nas imagens gravadas pelo circuito interno do hospital.

Lilian Calixto morava em Cuiabá e chegou ao Rio no final de semana apenas para realização da cirurgia estética. Segundo informações da unidade de saúde, ela chegou em estado extremamente grave e mesmo após "manobras de recuperação", não foi possível reverter o quadro.

A paciente acabou morrendo duas horas após atendimento devido a uma embolia pulmonar, causada por uma obstrução em uma artéria do pulmão. O médico, que não tem registro para atuar no Rio nem formação em cirurgia plástica, é suspeito de ter injetado um produto chamado PMMA (polimetilmetacrilato) no glúteo da paciente.

De acordo com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o PMMA pode ser usado em procedimentos estéticos para corrigir rugas e restaurar pequenos volumes perdidos de tecidos com o envelhecimento. Mas nem a SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica) nem a SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) recomendam o uso do produto para fins estéticos. 

A defesa do médico afirmou em entrevista coletiva concedida a jornalistas na tarde desta quarta (18) em Brasília disse que julgar Furtado como culpado pela "fatalidade" ocorrida com a paciente é "precoce". Segundo a advogada  Naiara Baldanza, o médico demorou para se entregar à polícia por problemas de saúde.

"Ele está sofrendo um grande impacto emocional, ele começou a desenvolver uma síndrome do pânico. Então há um motivo pelo qual existe uma dificuldade, nesse momento, para que ele se apresente, e não é o motivo de obstaculizar o trabalho da Justiça", afirmou a advogada.

Erramos: o texto foi alterado

Embolia pulmonar é causada por uma obstrução em uma artéria do pulmão, e não por acúmulo de água no órgão, como informava o texto anteriormente. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.