Descrição de chapéu Rio de Janeiro

Pai prova inocência de filho preso por engano por assassinato no Rio

Câmeras de segurança mostraram jovem em outro local no momento do crime

Sérgio Rangel
Rio de Janeiro

Coube ao pai de um jovem preso injustamente por suspeita do assassinato do filho de um comerciante provar sua inocência no Rio. Depois de uma semana preso, o DJ Leonardo Nascimento, 27, foi solto no início da madrugada desta quinta-feira (24), após a Polícia Civil voltar atrás na acusação.

O rapaz só pode deixar a cadeia depois que parentes seus comprovaram com imagens do circuito interno de câmeras do condomínio onde moram que o jovem não poderia estar no local do crime na hora em que ele foi cometido e ainda usava uma roupa diferente da do suspeito de assassinato. A única semelhança entre o suspeito e o jovem preso de maneira equivocada era a cor de pele, negra. 

Leonardo Nascimento após a soltura no Rio
Leonardo Nascimento após a soltura no Rio - Reprodução/TV Globo

Nascimento foi preso no último dia 16, acusado do assassinato de Matheus Lessa, 22, que tentou proteger a mãe de um assalto em um mercado da família, em Barra de Guaratiba, na zona oeste do Rio. O estudante de psicologia se jogou na frente da mãe quando bandidos a ameaçavam a entregar o dinheiro do caixa do mercadinho. Ele foi baleado no pescoço, chegou a ser socorrido ao hospital, mas morreu no caminho. 

Lessa foi morto um dia antes da prisão de Nascimento. O rapaz chegou a ser reconhecido por quatro testemunhas, inclusive a mãe do jovem morto. Segundo parentes, ele foi o único jovem de pele negra a ser apresentado como suspeito às testemunhas do crime e por isso foi preso. 

Na quarta, a Delegacia de Homicídios assumiu o erro e pediu à Justiça a libertação de Nascimento após identificar a dupla que participou do assassinato.

O DJ deixou o presídio de Benfica, na zona oeste, no final da noite e foi recebido com festa pelos parentes, que desde a semana passada protestavam contra sua prisão.

“Eu só quero ficar com a minha família. Agradeço muito aos meus amigos e familiares”, disse o DJ, na porta do presídio.

Na noite de terça (22), Yuri Gladstone confessou o crime e entregou Adelito Santana como seu comparsa. Santana ainda está foragido.

Eles chegaram de moto ao mercadinho da família e atiraram em Lessa quando ele reagiu à abordagem. Na ação, eles levaram R$ 30 e um celular de um cliente.

Mateus dos Santos Lessa foi atingido com um tiro no pescoço depois de se colocar entre os assaltantes e sua mãe
Mateus dos Santos Lessa foi atingido com um tiro no pescoço depois de se colocar entre os assaltantes e sua mãe. - Reprodução

A defesa de Nascimento conseguiu convencer os policiais após apresentar vídeos do jovem caminhando pelo condomínio distante cerca de 3 km do mercadinho minutos antes da hora do crime. Ele ainda vestia uma camiseta estampada, diferente, segundo testemunhas, da camiseta branca de um dos suspeitos. 

Nascimento completou 27 anos no último domingo (20), dentro da cadeia. Ele tinha uma viagem marcada com a irmã para comemorar a nova idade em Ilha Grande, no litoral sul do estado do Rio de Janeiro, região conhecida como Costa Verde.

“Foi horrível não ter comemorado pela primeira vez o nosso aniversário junto. Vamos ver se conseguimos fazer festa hoje”, disse a irmã Letícia dos Santos, que também completou 27 anos.

“Estou aliviado. Ele não fez parte dessa barbaridade. Meu coração está em paz”, afirmou Jorge Nascimento, pai do DJ. Ele vestia uma blusa com rostos dos dois jovens, Lessa e Nascimento. Na camisa dizia que o caso tratava-se de uma dupla injustiça. 

Ele comemorou a soltura, mas lamentou pela outra família que não teria mais condição de ver seu filho com vida novamente. 

“Ele é tranquilo, trabalhador. Gosta de fazer suas festas. Só quero agora levá-lo para os braços da mãe dele, que estava em casa aguardando”, completou o pai de Nascimento.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.