Descrição de chapéu Tragédia em Brumadinho

Vale desautoriza declarações de advogado da empresa que negou responsabilidade

Sergio Bermudes tinha dito que diretoria não se afastaria de seu comando 'em hipótese nenhuma'

São Paulo

A Vale informou, por meio de nota, que não autorizou o advogado Sergio Bermudes em nome da empresa após o rompimento da barragem em Brumadinho (MG).

 
O texto foi divulgado nesta segunda-feira (28) após o defensor da companhia declarar que a Vale "não enxerga razões determinantes de sua responsabilidade" ​e que, por isso, a diretoria não se afastaria de seu comando "em hipótese alguma".

"A Vale não reconhece as declarações feitas à mídia pelo advogado Sergio Bermudes e afirma que seu mandato não o autoriza a dar quaisquer declarações sobre a Vale, seja em nome da empresa, seja para expressar a sua opinião pessoal sobre o tema do rompimento da barragem em Brumadinho (MG). A Vale volta a ressaltar, de forma enfática, que permanecerá contribuindo com todas as investigações para a apuração dos fatos e que esse é o foco da sua diretoria, juntamente com o apoio incondicional às famílias atingidas. A Vale reitera o compromisso de reparação total dos impactos decorrentes do rompimento", diz a íntegra da nota.

Bermudes afirmou que "não houve negligência, imprudência, imperícia".

A TRAGÉDIA

Uma barragem da mineradora Vale se rompeu e ao menos uma transbordou nesta sexta-feira (25) em Brumadinho, cidade da Grande Belo Horizonte, liberando cerca de 13 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério de ferro no rio Paraopeba, que passa pela região. A lama se estende por uma área de 3,6 km2 e por 10 km, de forma linear.

Até a manhã desta segunda-feira (28), 60 corpos haviam sido encontrados. Desses, 19 já foram identificados, segundo a Polícia Civil de Minas. Até o momento, foram resgatadas 192 pessoas pelos bombeiros. Há 292 desaparecidos, segundo a Polícia Civil de Minas Gerais.

Nesta segunda, as forças de segurança que trabalham nas operações de busca se reuniram com a equipe israelense que chegou na noite de domingo para auxiliar no resgate, e com o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo).

Espera-se que os 136 militares agilizem o processo de retirada de vítimas somados aos 280 bombeiros. Entre os equipamentos trazidos de Israel estão sonares que podem detectar sinais de celular a até três metros de profundidade e distinguir a lama de outras substâncias, como corpos.

​​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.