Mulher fica desfigurada após apanhar de homem que conheceu na web

Empresária foi espancada em seu apartamento na Barra da Tijuca, no Rio

Marcela Lemos Júlia Barbon
Rio de Janeiro | UOL

Uma empresária ficou desfigurada após ser espancada por horas em seu apartamento na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, na madrugada de domingo (17). Elaine Perez Caparroz, 55, foi encontrada desmaiada após um encontro com o estudante Vinícius Batista Serra, 27, que ela conheceu pela internet.

O agressor foi detido em flagrante e, após audiência de custódia, está preso preventivamente no presídio de Benfica, na zona norte. À polícia, ele afirmou que teve um surto psicótico e não se lembra do episódio. A reportagem não conseguiu localizar sua defesa.

Serra, que deve responder por tentativa de feminicídio --com pena mínima de quatros de reclusão—, já havia sido denunciado pelo próprio pai há dois anos por agredir o irmão com deficiência, segundo informação divulgada pelo jornal O Globo e confirmada pela Folha.

Elaine Caparroz
Elaine Caparroz - Reprodução Facebook

Ao programa Fantástico, da TV Globo, a empresária contou que as agressões aconteceram após um jantar na casa dela, que eles marcaram depois de terem trocado mensagens por oito meses nas redes sociais.

"Antes de dormir ele falou assim: posso dormir aqui? Eu falei: pode. Ele falou então: deita no meu ombro para a gente dormir abraçadinho, para dormir juntinho. Aí eu falei: tá bom. Eu acordei com ele me esmurrando a cara", disse ela.

"Ele tentou me dar um mata-leão, foi quando coloquei as mãos assim para não deixar ele concluir e ele me mordeu. Me deu umas dentadas absurdas. Comecei a gritar socorro, socorro, socorro", descreveu.

Os ataques duraram cerca de quatro horas, segundo Elaine. Ela foi encontrada desmaiada sobre uma poça de sangue pelo zelador do condomínio. Imagens de dentro do apartamento também mostram diversas manchas de sangue espalhadas pelas paredes e móveis.

De acordo com o irmão da vítima, Rogério Caparroz, no início os vizinhos acharam que se tratava de uma briga de casal. A polícia foi chamada depois que um funcionário do condomínio, alertado sobre os gritos, passou em frente ao apartamento.

"O 'ronda' passou ali e falou: 'Ô, rapaz, o que está acontecendo? Vamos parar com isso.' Segundo o ronda, ele [o agressor] falou: 'Entra aí, então. Abre a porta e entra para você ver o que acontece'", disse.

Quando o zelador voltou ao local, a porta estava entreaberta e o agressor não estava mais ali. Ele então acionou a portaria para impedir que Serra saísse do prédio. Quando a polícia chegou, o estudante já estava detido pelos funcionários. 

Elaine está internada no Hospital Casa de Portugal, na zona norte do Rio. Além dos hematomas pelo corpo, ela levou quase 40 pontos dentro da boca, sofreu fratura no nariz e nos ossos próximos aos olhos, perdeu um dente e deve passar por cirurgia plástica.

"Cada vez que eu vejo a minha irmã, eu não consigo reconhecê-la", contou o irmão após visitá-la. Segundo ele, o documento que registra as entradas no condomínio mostra que o agressor disse se chamar Felipe ao porteiro. "Isso tem que ser averiguado, como que ele apresentou um nome diferente? Por que ele fez isso? Ele já tinha uma intenção?"

Vinícius Serra já havia sido denunciado pelo próprio pai, Zacarias Batista de Lima, em fevereiro de 2016. Ele relatou à polícia que foi acordado por gritos de madrugada e, quando chegou no quarto, Serra estava aplicando golpes de jiu-jítsu no irmão com deficiência.

O motivo seria a suspeita de que o irmão tivesse roubado R$ 1.200 dele, mas a quantia foi achada em uma caixa de remédios que a mãe havia jogado no lixo. O pai também contou que Serra era faixa roxa de jiu-jítsu e andava “muito destemperado”, segundo O Globo.

O caso chegou ao Juizado Especial Criminal depois que o pai desistiu da denúncia contra o filho. Serra agora deve passar por exame psiquiátrico, de acordo com a decisão judicial desta segunda (18) que transformou sua prisão em flagrante em prisão preventiva, sem prazo para soltura.

O filho de Elaine Caparroz, Rayron Gracie, usou as redes sociais para homenagear a mãe. "Te amo mãe", postou o jovem. A empresária é ex-cunhada de Kyra Gracie, lutadora e ex-apresentadora do canal Combate. Nas redes sociais, a atleta chamou o agressor de "monstro".

"A gente nunca acha que pode chegar tão perto de nós. É uma sensação horrível, de aperto no peito, mãos atadas. Vinícius, advogado, morador do Leme, agrediu brutalmente uma mulher muito próxima da minha família de maneira premeditada e tentou feminicídio. Um monstro", escreveu.

o ano passado foram registrados no estado do Rio de Janeiro 288 tentativas e 70 casos de feminicídio, o equivalente a um episódio por dia, segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.