Justiça revoga prisão domiciliar de ex-médico Roger Abdelmassih

Decisão foi emitida por juíza após perícia avaliar condições de saúde do condenado por estupro

São Paulo

A Justiça anunciou nesta quinta-feira (17) que revogou o benefício de prisão domiciliar humanitária ao ex-médico Roger Abdelmassih, 76. 

Ele foi condenado a 181 anos de prisão pelo estupro de 37 mulheres, com início no regime fechado.

A decisão da juíza Andréa Barreira Brandão, da 3ª Vara de Execuções Criminais da Comarca de São Paulo, foi tomada após realização de perícia médica.

Segundo a Justiça, o "resultado [da perícia] concluiu que o réu está em condições de fazer seu tratamento de saúde na modalidade ambulatorial e que por isso ele pode cumprir a pena na prisão, em regime fechado".

Em agosto, a Justiça suspendeu a prisão domiciliar do ex-médico por suspeita de fraude nas declarações de sua condição de saúde. Ele cumpria prisão em casa desde 2017. 

Após a revogação, ele foi levado ao Hospital Penitenciário de São Paulo. Antes, esteve detido em Tremembé.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.