Descrição de chapéu Alalaô

Com enredo sobre educação, Águia de Ouro surpreende e conquista 1º título no Grupo Especial de SP

Campeonato foi decidido na leitura do último quesito, a bateria; Mancha Verde e Mocidade Alegre ficaram na segunda e na terceira posições, respectivamente

São Paulo

A Águia de Ouro conquistou seu primeiro título do Grupo Especial do Carnaval 2020 em São Paulo após apuração de notas realizada na tarde desta terça-feira (25), no Anhembi.

A disputa foi acirrada. O Acadêmicos do Tatuapé liderou a disputa na maior parte do tempo, mas sucumbiu ao final da leitura do último quesito (bateria) com o quarto lugar. A Mancha Verde (2º lugar) e a Mocidade Alegre (3º lugar) subiram no pódio.

A Águia obteve 269,9 pontos —um décimo acima da segunda colocada, Mancha Verde, que fez um desfile protocolar sobre religiosidade e somou 269,8 pontos. 

A Águia de Ouro conquistou os jurados e gabaritou seis dos nove quesitos avaliados: samba-enredo, harmonia, evolução, enredo, alegoria e bateria.

A apuração deste ano também foi marcada pelo descarte das notas dadas por um dos jurados no quesito alegoria. Segundo a Liga das Escolas de Samba de São Paulo, o jurado apresentou um comportamento inadequado durante a primeira noite de desfile.

O samba-enredo da escola exaltou a evolução do conhecimento humano desde o surgimento do homem ao futuro mais parecido com aqueles dos filmes de ficção científica. 

Com o título "O Poder do Saber – Se saber é poder… Quem sabe faz a hora, não espera acontecer", o samba-enredo também prestou homenagem ao educador Paulo Freire.

Apesar de valorizar o conhecimento, a Águia de Ouro mostrou na sua apresentação que nem tudo o que foi criado pelo ser humano trouxe bons resultados ao planeta.

Um dos usos perversos do saber, segundo a escola, foi a criação das bombas atômicas. A escola levou para a avenida uma alegoria em que criticava a destruição da cidade de Hiroshima por uma ogiva nuclear americana em 1945.

Também fez a diferença a experiência do carnavalesco Sydnei França, que já comandou 11 desfiles na Mocidade Alegre e em outras agremiações, como Gaviões da Fiel e Unidos de Vila Maria.

Musa da Águia de Ouro, a modelo Tati Minerato disse que ficou emocionada com o título inédito de sua escola. “Eu sou pé quente. O nosso desfile foi demais", afirmou. "Desde o momento que eu pisei o pé na concentração, senti uma coisa diferente. A escola estava muito afiada."

PAULO BARROS DATADO

Uma das surpresas da apuração foi o resultado obtido pela Gaviões da Fiel: 11º lugar. A escola da rainha de bateria Sabrina Sato cantou o amor num samba em comemoração aos 50 anos de sua torcida.

Assinado por Paulo Barros, carnavalesco que fez sua estreia no Anhembi neste ano e ficou conhecido por inovar o jeito de se fazer Carnaval de avenida, o espetáculo da Gaviões alcançou 268,7 pontos —apenas 0,5 acima da X-9 Paulistana, que foi rebaixada junto com a Pérola Negra.

A Gaviões recebeu as menores notas (9,6 pontos) na Comissão de Frente, setor da escola em que Paulo Barros injetou seu coquetel de surpresas para arrebatar os jurados.

Barros tentou simular uma "explosão de amor" entre casais apaixonados, mas a fórmula, já desgastada, não entregou o que prometeu.

O efeito cênico representado por labaredas que queimariam a roupa de um dos integrantes ao beijar sua amada não funcionou. O fracasso foi escancarado, justamente, em frente à comissão julgadora do Anhembi. 

Na segunda colocação deste Carnaval, a Mancha Verde se superou ao sofrer os reflexos diretos de um acidente inédito no Anhembi provocado por sua antecessora, a Dragões da Real.

O abre-alas da Dragões enroscou em uma fiação na dispersão do Anhembi e atrasou em 1 h o início do desfile da Mancha, que contou a história de Jesus Cristo na avenida.

A Mocidade Alegre, na terceira colocação, apostou num samba afro em homenagem às orixás femininas com mulheres representando 70% de seus 3.000 componentes.

SOBE E DESCE

A queda da X-9 Paulistana já era previsível. A escola foi a única a ser punida com desconto de 0,5 ponto neste Carnaval após falha em um carro acoplado que se desprendeu na avenida. 

Já a Pérola Negra apresentou falhas mais evidentes nas fantasias e na evolução de seus componentes e terminou em último lugar. X-9 e Pérola desfilarão no Grupo de Acesso 1 em 2021.

Quem retornou à elite do samba paulistano foi a Vai-Vai. Maior campeão do Carnaval paulistano, venceu o Grupo de Acesso 1 cantando samba em homenagem à sua própria história. 

A Acadêmicos do Tucuruvi também voltou ao Grupo Especial com um desfile que lembrou a vida e a obra do humorista Chico Anysio.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.