Descrição de chapéu Coronavírus

Empresário vítima do novo coronavírus no Paraná dá nome a hospital de campanha

Empresário de Cascavel recebe homenagem da prefeitura

Curitiba

A prefeitura de Cascavel, no oeste do Paraná, encontrou uma forma de homenagear a primeira vítima fatal do novo coronavírus na cidade, o empresário Nei Senter Martins. O hospital de campanha, montado nesta semana para atender pacientes da doença, agora carrega o nome dele.

“Homem virtuoso, dedicado e que padeceu deste novo vírus que mudou a agenda do mundo”, descreveu a administração municipal sobre o homem de 66 anos. A estrutura, montada em 48 horas, dentro do centro de convenção e eventos de Cascavel, terá 59 leitos e está recebendo agora móveis e equipamentos para atender a população.

“Mudou e irá mudar muitas vidas. Você mudou a atitude de ‘ficar em casa’ para muitas pessoas. Um lindo legado”, descreveu a filha do empresário, a psicóloga Fernanda Sampaio, sobre a homenagem.

0
O empresário Nei Martins com Gizelly, sua mulher - Arquivo Pessoal

Em nota de pesar, a Ibema Papelcartão, conhecida empresa de embalagens do estado, também lembrou Nei como “protagonista” na construção do empreendimento. Ele foi diretor-presidente da Ibema entre 2011 e 2015 e atualmente ocupava seu conselho de administração.

Foi da empresa que nasceu seu próprio empreendimento de compensados, a Andrade & Martins, com sede na cidade de Ibema, vizinha a Cascavel. A empresa se coloca como a maior geradora de empregos no município e responsável por 27% do PIB da cidade.

O trabalho também levou ao reconhecimento da Sociedade Rural do Oeste do Paraná, que o chamou de “exemplo de ser humano”. “Homem que não mediu esforços em prol do bem maior desta entidade”, acrescentou.

A descrição profissional coincide com os relatos da família. “Ele foi para nós um porto seguro, passava muita confiança, qualquer dúvida que tinha eu o procurava. Era um homem sábio, com conhecimento, e sempre aconselhou as pessoas”, diz a filha.

Martins participou de um cruzeiro com amigos e familiares no início do mês, com passagem por Dubai, nos Emirados Árabes. “Não vi meu pai triste por um momento na vida. Tudo era motivo para comemorar, afinal, quem ama viver, comemora”, afirma Fernanda. Quatro dias depois do retorno da viagem, o empresário passou a sentir os sintomas do novo coronavírus, mas ficou em isolamento domiciliar.

Como os sintomas pioraram, principalmente a febre insistente, e ele tinha histórico de hipertensão e diabetes, na quarta-feira (25), foi internado. Morreu na segunda-feira (30), um dia depois de receber o diagnóstico positivo para a doença.

Sua mulher e sua cunhada também estão com a doença, mas passam bem.

Nei Martins deixou três filhos e dois netos.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.