Descrição de chapéu Coronavírus Rio de Janeiro

Morre o segundo funcionário do SBT no Rio de Janeiro por coronavírus

Ministério Público do Trabalho quer ouvir apresentadora que teria continuado a trabalhar infectada

Rio de Janeiro

Há duas semanas, nasceu Valentina. Seu pai, porém, estava internado após ter sintomas do novo coronavírus e não a conheceu. Depois de passar 20 dias na CTI, o operador de câmera Robson Thiago Mesquita, 36, conhecido por colegas e amigos como Tio Chico, morreu nesta terça (21).

Mesquita é o segundo funcionário do SBT no Rio de Janeiro a morrer em decorrência da Covid-19. No último dia 13, José Augusto Nascimento, editor de imagens, morreu aos 57 anos.

Na emissora desde 2014, onde, segundo o SBT, começou como motoboy, Mesquita é descrito por colegas como uma pessoa extrovertida, animada e querida por todos. Era ele que organizava bolões, festas e homenagens aos colegas.

O câmera Robson Thiago Mesquita, do SBT Rio, morto após contrair o novo coronavírus
O câmera Robson Thiago Mesquita, do SBT Rio, morto após contrair o novo coronavírus - tiochicorj/Instagram/Reprodução

Em novembro do ano passado foi a vez de os amigos fazerem uma celebração para ele e a mulher, Brunna, que esperavam um filho e fariam um chá de bebê para revelar o sexo da criança. Um vídeo reuniu os votos de saúde e felicidade de diversos amigos de Mesquita para a nova integrante da família, que seria uma menina.

O câmera trabalhava no telejornal SBT Rio, cuja apresentadora, Isabele Benito, é apontada por funcionários como a primeira pessoa da sede carioca da emissora a ficar doente. O marido de Benito estava com suspeita de Covid-19 desde o dia 21 de março, segundo o site Notícias da TV, mas ela só deixou de apresentar o telejornal no dia 27.

O marido de Benito foi internado e ficou cinco dias no CTI, enquanto a apresentadora, segundo ela diz em vídeo ao SBT, não teve sintomas, ainda que seu teste tenha dado positivo. Funcionários estimam entre 20 e 30 os afastados da equipe carioca do SBT, que conta com cerca de 100 pessoas, entre jornalistas, técnicos e pessoal do administrativo.

Mesquita, que completou 36 anos em 12 de abril, também trabalhava como motorista de aplicativo após o turno no SBT. Em seu perfil nas redes sociais, defendia o isolamento social, usava hashtags como “fique em casa” e postava fotos da mulher grávida e de seu cachorro, Max.

O SBT publicou nota de pesar pela morte do funcionário, na qual diz que Mesquita morreu “com suspeita de ser vítima da Covid-19”. No encerramento da edição desta quarta (22) do telejornal em que ele trabalhava, porém, foi exibida uma homenagem na qual a emissora diz que o câmera morreu vítima do coronavírus.

Robson Thiago Mesquita com a mulher Brunna no chá de bebê da filha que esperavam
Robson Thiago Mesquita com a mulher Brunna no chá de bebê da filha que esperavam - tiochicorj/Instagram/Reprodução

O hospital Badim, no qual Mesquita estava internado, diz que o resultado do exame para o vírus foi informado à família e à emissora, que, por sua vez, diz estar aguardando o atestado de óbito. A reportagem não conseguiu contato com a família de Mesquita.

O sindicato dos jornalistas do Rio de Janeiro procurou o Ministério Público do Trabalho pedindo a fiscalização da Redação do SBT, acusando a emissora de negligência com a saúde de seus funcionários em seu prédio —apertado, sem limpeza adequada e sem janelas— na zona norte carioca.

Segundo a Associação Brasileira de Imprensa, ela e também o sindicato dos radialistas do Rio e a Federação Nacional dos Jornalistas procuraram o MPT para denunciar as condições precárias de trabalho da emissora. Após a primeira morte, o MPT solicitou à Vigilância Sanitária uma inspeção sanitária na sede da emissora no Rio de Janeiro.

Durante a inspeção, os técnicos não encontraram motivo para interdição do local, segundo o MPT. Na segunda (20), foi realizada a terceira audiência sobre o caso, na qual ficou estabelecido o prazo de 29 de abril para que o SBT se manifeste quanto à assinatura do Termo de Ajustamento de Conduta e para entregar os documentos, assinados por médicos e engenheiros do trabalho, referentes às ações de prevenção e segurança dos trabalhadores da empresa.

Segundo funcionários, a emissora começou a transferência de equipes do prédio onde fica a Redação para outro, no mesmo bairro, São Cristóvão, onde funciona a parte administrativa do SBT carioca. Há ainda a promessa de serem transferidos, no próximo ano, para um andar de um prédio mais novo, no centro do Rio, que pertence ao grupo Silvio Santos.

O MPT do Rio requisitou ainda, nesta quarta (22), os dados da apresentadora Isabele Benito para que seja ouvida nesta semana e está acompanhando o cumprimento das medidas estabelecidas pela Anvisa para limpeza e desinfecção diárias da Redação.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.