Descrição de chapéu Coronavírus

Número de pequenas cidades de SP com Covid-19 mais que dobra em uma semana

Municípios com menos de 30 mil habitantes com casos de coronavírus passaram de 33 para 72 no estado

Ribeirão Preto

O surgimento de um caso da Covid-19 acendeu o sinal vermelho na pequena Guzolândia, município de 5.038 habitantes no interior paulista que entrou na lista das cidades com casos confirmados do novo coronavírus.

Ela é uma das nove pequenas cidades do interior de São Paulo que tiveram casos confirmados na terça-feira (21) em boletim da Secretaria de Estado da Saúde e confirmam o avanço da doença para pequenas localidades. O número mais do que dobrou no intervalo de uma semana.

Represa Atibainha, em Nazaré Paulista, no interior de SP
Represa Atibainha, em Nazaré Paulista, no interior de SP - Eduardo Anizelli - 25.jul.2018/Folhapress

No último dia 14, eram 33 as cidades com menos de 30 mil habitantes com casos confirmados da Covid-19 em São Paulo, total que saltou para 72 nesta terça. O número de casos passou de 47 para 134 nessas localidades.

Ao mesmo tempo em que o total de casos avança e chega às pequenas cidades, mais prefeituras decidem abrir seu comércio.

E, nesta quarta (22), o governador João Doria (PSDB) anunciou os primeiros detalhes do Plano São Paulo, o processo de saída da quarentena.

O estado fará o acompanhamento da disseminação, comparando cenários possíveis da evolução do vírus, e os novos protocolos serão definidos dependendo da situação de cada região do estado e cada setor da economia.

Além de Guzolândia, entraram na lista de cidades com casos de coronavírus municípios como Capela do Alto, Chavantes, Elias Fausto, Mirandópolis, Nazaré Paulista, Quatá, Quintana e Vista Alegre do Alto. Desses, só Mirandópolis tem mais de 20 mil habitantes.

“Ficamos muito preocupados com isso. Orientações a gente faz, vai de as pessoas terem consciência também. Esse é um problema”, afirmou Maria Cristina de Souza, diretora da Saúde de Guzolândia.

Em Quintana, a confirmação de um caso no feriado prolongado fez o setor de saúde reforçar outras medidas que já vinha fazendo, como a higienização de ruas com hipoclorito e a distribuição de máscaras à população. Também houve a entrega de kits de higiene a todos os idosos da cidade, de 6.403 habitantes.

“Entregamos em casa, para o idoso não precisar sair para nada. Toda residência com algum idoso recebeu o kit”, disse a diretora de saúde do município, Andréia Lopes Pereira. Cada kit é composto por álcool em gel, detergente e sabonete.

O paciente, um homem pertencente a grupos de risco, ficou internado até o final de semana, mas já teve alta e se recupera em sua casa.

“O uso de máscaras nesse momento é essencial, é o que precisa ser feito por todos. Temos de ter paciência para esperar passar o pico e aprender com essa pandemia”, disse.

Há outros cidades também com preocupação no interior, como Santo Antônio da Alegria, que tem um caso da doença, com um óbito.

Enquanto isso, há prefeituras decidindo pela reabertura do comércio, como a de Jaboticabal, na região de Ribeirão Preto, em que o comerciante deve assinar um termo de compromisso para poder reabrir seu estabelecimento.

Conforme o decreto da prefeitura, desta terça-feira (21), o comércio não essencial poderá abrir se o lojista cumprir regras como uso de máscaras e limitar a entrada de um cliente por vez no local. A fila terá de ser feita do lado de fora da loja, com distanciamento.

A cidade tem, segundo o estado, nove casos da Covid-19, com duas mortes. A prefeitura considera que a primeira onda da doença está controlada, por não ter novos casos há mais de uma semana e o total de suspeitos se manter estável.

Em Sorocaba, medidas anunciadas na última segunda (20) permitirão a abertura de alguns serviços , como lavadores de veículos, salões de beleza e escritórios (como contabilidade e advocacia). A cidade tem 56 casos e 12 mortes, também conforme a Secretaria de Estado da Saúde.

Outros locais que definiram medidas de reabertura são São José dos Campos, São José do Rio Preto e Indaiatuba, entre outras.

ECONOMIA

No anúncio feito nesta quarta, Doria listou todos os serviços autorizados a funcionar desde o início da quarentena e afirmou que 74% da economia de São Paulo nunca parou.

Ainda não se sabe quais atividades terão permissão primeiro para voltar a operar.

“Ninguém aqui disse abertura de escolas e comércio, isso não foi mencionado. Não há essa deliberação. Esse planejamento é feito com muito cuidado e com muito zelo. Os detalhes só serão anunciados no dia 8 de maio se todas as circunstâncias permitirem”, afirmou.

O governador também afirmou que vai dialogar com os municípios para que eles cumpram as determinações, mas que, caso não seja possível um alinhamento por meio das conversas, não descarta medidas legais.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.