Descrição de chapéu Coronavírus

Jornalista de afiliada da Globo no Maranhão morre após batalha contra Covid-19

Roberto Fernandes tinha 61 anos e ficou quatro semanas internado por causa do coronavírus

Salvador

Um dos jornalistas mais conhecidos do Maranhão, Roberto Fernandes, 61, morreu nesta terça-feira (21) em São Luís por complicações decorrentes do quadro de Covid-19. Ele estava internado havia quatro semanas.

Funcionário da TV Mirante, afiliada da Rede Globo no Maranhão, Roberto atuava como comentarista de política do jornal Bom Dia Mirante. Ele também comandava, há duas décadas, o programa Ponto Final, da rádio Mirante AM.

Roberto Fernandes nasceu em Vitória de Santo Antão, em Pernambuco, mas formou-se em jornalismo na Universidade Federal do Maranhão e construiu sua carreira em emissoras de rádio e televisão do estado.

O jornalista Roberto Fernandes morreu vítima do coronavírus após quatro semanas internado
O jornalista Roberto Fernandes morreu vítima do coronavírus após quatro semanas internado - Reprodução/TV Mirante

Ao longo de sua carreira, teve passagens pela Rádio São Luís AM, Rádio Educadora AM e TV Brasil. Também atuou como comentarista esportivo em transmissões de jogos da série B do Campeonato brasileiro.

Apaixonado por futebol, chegou a ser presidente do Moto Club, um dos principais times de futebol do Maranhão, entre 2013 e 2014.

Roberto Fernandes estava internado em um hospital de São Luís, onde deu entrada com sintomas de pneumonia no dia 23 de março. Com o agravamento do quadro, migrou para uma Unidade de Terapia Intensiva e foi intubado. Exames apontaram para o diagnóstico de Covid-19.

Em uma rede social, o governador Flávio Dino (PCdoB) lamentou a morte de Roberto Fernandes a quem se referiu como “jornalista de referência do Maranhão há várias décadas”. Disse ainda prestar solidariedade à família e à imprensa do estado.

O Grupo Mirante também lamentou a morte do profissional e destacou a sua trajetória na imprensa maranhense.

“O jornalista Roberto Fernandes foi exemplo de conduta dentro e fora dos nossos estúdios, pautando sua profissão e sua vida pela ética e pela busca de uma sociedade mais justa. […] É uma baixa, nessa guerra diária que o mundo tem travado contra o coronavírus, que entristece toda a sociedade maranhense o jornalismo brasileiro”.

O corpo do jornalista será enterrado nesta quarta-feira (22) no Cemitério Parque da Saudade, em São Luís. Ele deixa mulher, dois filhos e um neto.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.