Descrição de chapéu Obituário Maurizio Longobardi (1961 - 2020)

Mortes: Pioneiro, aqueceu a noite do centro de SP com sofisticação

Empresário da noite paulistana, Maurizio Longobardi foi um entusiasta do funk tradicional e do samba-rock

São Paulo

Os quase 30 anos no Brasil fizeram do fotógrafo italiano Maurizio Longobardi uma das figuras mais importantes da cultura e do entretenimento de São Paulo.

Longobardi atribuiu charme e sofisticação à noite paulistana ao comandar espaços badalados com propostas musicais ousadas.

Vindo de Milão, em 1989, Maurizio desembarcou no Brasil para rodar o documentário “O Brasil Grande e os Índios Gigantes”.

Maurizio Longobardi (1961-2020)
Maurizio Longobardi (1961-2020) - Mastrangelo Reino - 23.dez.2009/Folhapress

O sucesso e o reconhecimento vieram quando se tornou empresário da noite. As casas Brancaleone (primeiro bar voltado à black music de SP), Grazie a Dio e Studio SP, entre outros, marcaram época.

“O Maurizio nunca perdia a ternura, apesar de parecer durão. Era um cara muito presente, atento aos acontecimentos e nunca se furtava a dar uma opinião. Contei com ele como um conselheiro. Ele foi meu irmão mais velho”, afirma o amigo e ex-sócio Alê Youssef, gestor cultural e ex-secretário municipal de Cultura de São Paulo.

Ambos se conheceram na década de 2000 e foram sócios no badalado Studio SP. “O Maurizio foi um entusiasta do funk tradicional e do samba-rock. As casas dele foram importantes para o renascimento desses dois gêneros”, diz Youssef.

Segundo ele, a ideia de migrar o Studio SP, da Vila Madalena (zona oeste), para a rua Augusta, no centro, partiu de Maurizio. “Ele trouxe uma ideia de transformação urbana do centro a partir da cultura.”

Encerrado em 2013, o Studio SP se transformou em um dos pontos de referência da revitalização da área que ficou conhecida como Baixo Augusta.

“Ele foi importante para a cultura da cidade e fundamental para os movimentos sociais urbanos que se consolidaram a partir dos anos 2000”, diz Alê Youssef.

Maurizio Longobardi morreu no dia 18 de novembro, aos 59 anos, por complicações de um câncer no pâncreas.

coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missa

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.