Descrição de chapéu Palavra Aberta

Infografia e visualização de dados são vitais para entender a pandemia

Gráficos animados e visualizações de estatísticas ajudam a dar forma aos números e a traduzir informações complexas

São Paulo

Onde quer que você more, é bem provável que esteja em casa, em isolamento social, por conta da necessidade de “achatar a curva”.

A insólita expressão, praticamente um mantra da luta global contra a pandemia do Covid-19, ganhou o mundo depois que um gráfico animado, criado pela microbiologista Siouxsie Wiles e pelo ilustrador Toby Morris e publicado em 8 de março, viralizou.

A ideia é simples: comparando duas projeções diferentes, o GIF mostra que ações ao alcance de qualquer pessoa, como lavar as mãos e ficar em casa, podem ajudar a distribuir melhor o número de casos esperados ao longo do tempo, “achatando a curva” de crescimento dos casos e evitando a sobrecarga do sistema de saúde.

Uma versão simples desse gráfico já circulava em artigos científicos desde 2007, e foi resgatada pela revista The Economist no início de 2020. Mais foi só quando Siouxsie Wiles adicionou a animação, os personagens e o chamado à ação -elementos narrativos que tornaram a mensagem muito mais impactante- que o gráfico realmente decolou. O GIF tornou-se uma poderosa ferramenta de engajamento da população na pandemia.

Em um contexto de hiperdensidade informacional, é a primeira vez na história em que informações e dados estatísticos sobre um vírus, bem, podem viralizar. E a infografia tem tido um importante papel, tornando claros os conteúdos científicos complexos e ajudando a população a disseminar informações e adotar atitudes que podem salvar muitas vidas.

Dados são essenciais para a compreensão de fenômenos sociais e naturais, mas informações importantes para a tomada de decisões na sociedade geralmente estão encerradas em documentos impenetráveis para a maioria das pessoas.

Com as visualizações de dados, criadas em colaboração entre designers e jornalistas de dados, podemos tornar esses números mais compreensíveis para o leitor comum, explicitando as histórias por trás dos números e tornando-os acessíveis por meio de representações gráficas simples e elegantes.

Gráfico mostra achatamento da curva de transmissão do Vocid-19
Gráfico da BBC mostra distribuição mundial do Covid-19 - Reprodução/BBC

O design de informação evolui com as tecnologias de informação e comunicação. Já podemos encontrar visualizações de dados animadas e até interativas.

Já a infografia –que como o nome diz, é a técnica de combinar informações e elementos gráficos– é uma forma de comunicação que utiliza, além do texto, dados, gráficos, mapas ou ilustrações para esclarecer um tópico complexo e contar uma história de forma clara e acessível.

Gráfico do Washington Post explica como o Covid-19 se espalha entre pessoas
Visualização animada do Washington Post explica o impacto estatístico do distanciamento social, do isolamento e do lockdown na dispersão do novo coronavirus - Reprodução/Washington Post

​Na infografia, os elementos visuais e os textos presentes buscam explicitar relações e estão a serviço de uma narrativa específica.

Quando a infografia encontra o audiovisual, temos o vídeo-infográfico, formato que tem se popularizado sobretudo em canais jornalísticos. No jornalismo, são cada vez mais frequentes os vídeos que buscam “explicar as notícias” de forma contextualizada e didática, apresentando matérias jornalísticas em vídeo que incluem gráficos, dados e animações.

Mariana Ochs

coordenadora do EducaMídia, programa de educação midiática do Instituto Palavra Aberta

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.