Descrição de chapéu Coronavírus

Professores de escolas privadas ficam sem emprego durante a pandemia

Profissionais da educação infantil particular são os mais afetados pelas demissões

São Paulo

Pela primeira vez em 30 anos, Maria Célia Crepaldi, 58, não encontrou seus alunos para o segundo semestre de aulas. Professora em uma escola particular, ela foi demitida no início de agosto depois que só dois alunos permaneceram matriculados na turma.

Etapa mais atingida pela saída de alunos durante a pandemia do novo coronavírus, a educação infantil (que atende crianças dos 0 aos 5 anos) tem concentrado mais de 70% das demissões de professores da rede particular, que planejam buscar novas áreas para atuar por verem que a crise no setor deve se estender.

Segundo estimativa da Fenep (Federação Nacional de Escolas Particulares), cerca de 300 mil docentes da educação básica já foram demitidos durante a pandemia. Os donos de escola afirmam que há risco de o número crescer, já que os pais podem não voltar os filhos para a rede particular neste ano.


Crepaldi era professora de uma escola em Moema, na zona sul de São Paulo, com mensalidades para a educação infantil em pelo menos R$ 2,2 mil. “Dou aula para crianças pequenas desde os 17 anos e nunca fiquei desempregada. Nunca imaginei ver tantos professores sem trabalho”, contou.
A professora Maria Célia Crepaldi foi demitida da escola em que trabalhou por mais de 30 anos - Adriano Vizoni/Folhapress

O colégio decidiu pela demissão das professoras de turmas de educação infantil que tiveram redução de alunos. A de Crepaldi, por exemplo, tinha 6 alunos de 1 ano antes da pandemia, mas em agosto só estava com 3 —um deles bolsistas.

“Acho que entenderam que não compensava me manter para dar aula só a dois alunos pagantes. Então, transferiram esses crianças para uma professora de uma turminha mais velha."

Aposentada há dois anos, Crepaldi não pretende parar de trabalhar, mas disse considerar difícil voltar a trabalhar ainda neste ano.

“Sei que faço um bom trabalho e ele é reconhecido, mas essa situação mudou a educação. Eu não me sinto segura de voltar a uma escola e não acho que vão contratar professores para dar aula a distância.”

Escolas particulares de elite de São Paulo iniciaram as demissões pelos professores de atividades extracurriculares, auxiliares de sala e estagiários.

Um dos mais tradicionais colégios de São Paulo, o Dante Alighieri, na região central, também dispensou os funcionários que atuavam em cursos extracurriculares. A direção disse que “não se trata de demissão porque eram todos terceirizados” e informou ter adiantado dois meses de pagamento a esses profissionais quando as aulas foram suspensas.

“O colégio também facilitou o contato de pais que tivessem interesse em seguir com essas aulas, de forma que puderam entrar em contato diretamente com estes profissionais”, disse em nota.

Ainda que o número de desmatrículas pareça ter se estabilizado, professores que tiveram os salários reduzidos, nas condições da Medida Provisória 936/2020, temem ser demitidos no final deste ano letivo. O temor é ainda maior entre aqueles que trabalham com crianças menores de 3 anos, idade em que a matrícula ainda não é obrigatória pela legislação.

“Já nos disseram que os pais dessas crianças podem adiar a volta dos filhos no próximo ano, caso ainda não haja uma vacina ou a pandemia não esteja bem controlada. Eles vão preferir deixá-los em casa com uma babá”, disse uma professora do colégio Elvira Brandão, em Santo Amaro, na zona sul.

Ela teve o salário reduzido em 50%, mas já pensa em alternativas para o caso de ser demitida. “Nunca faltou emprego para professor e agora me vejo sem opção na área que amo trabalhar. Porque as escolas não vão contratar, dificilmente vão abrir concurso público."

Em nota, o colégio Elvira Brandão informou que, diante das “muitas famílias” impactadas que suspenderam ou cancelaram a matrículas dos alunos, é preciso manter a saúde financeira.

Segundo a direção, com as medidas previstas na MP foi feita a redução de jornada, com ajuda de custo para que ninguém tivesse prejuízo no salário líquido. Também informou que apenas estagiários tiveram os contratos rescindidos.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.