Curso gratuito ensina técnicas de leitura e contação de histórias

Sacola Literária já formou 200 pessoas neste ano e abre turma para agosto

São Paulo

A arte de ler e contar histórias promove mais do que a expansão do imaginário —com ela, são compartilhadas experiências e momentos de entretenimento e bem-estar. Por conta disso, a Associação Viva e Deixe Viver (Viva) conduz curso para estimular a leitura e a contação de histórias.​

Devido ao sucesso das aulas, o projeto Sacola Literária abriu mais quatro turmas para este ano, a primeira com início neste sábado (17). As inscrições para participar são gratuitas e podem ser feitas pelo site da organização.

O curso é composto por quatro módulos, nos quais são distribuídas sacolas com cinco livros infantis
O curso é composto por quatro módulos, nos quais são distribuídas sacolas com cinco livros infantis - Divulgação

Dirigida a agentes de saúde, profissionais da educação ou pessoas com interesse em atuar em hospitais e salas de aula, a iniciativa da Viva estrutura-se a partir da descoberta da literatura e da forma pela qual seu conteúdo amplia o domínio da palavra. 

Por meio de um acervo composto por narrativas consagradas da literatura infantojuvenil, seus encontros inspiram ações e atividades educativas e humanizadoras.

O professor Martin Feijó ministra o módulo "Roda de encontro literário" do curso, em que os alunos interagem com o conteúdo dos autores e suas obras
O professor universitário Martin Feijó ministra o módulo "Roda de encontro literário" do curso, em que os alunos interagem com o conteúdo dos autores e suas obras - Divulgação

Incentivado pela Secretaria do Estado da Cultura de São Paulo e patrocinado pela Pernambucanas, o projeto formou 200 pessoas desde o início desse ano, de acordo com o fundador e presidente da Viva, Valdir Cimino. 

Cimino é também membro da Rede Folha de Empreendedores Socioambientais, e comemora no sábado, além da abertura da nova turma do Sacola Literária, os 22 anos de atuação da organização.

A ONG conta com o apoio de 1.357 voluntários que se dedicam a contar histórias para crianças e adolescentes hospitalizados, visando a transformação do ambiente hospitalar. Ao todo, são 90 hospitais que recebem as visitas humanizadoras da entidade.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.